Pena Ulterior

Laça-te às demandas, arboráceas da Terra, consumam de teus flancos os pungentes dolores da Vida macabra, àquela que lança em teus antros, ó Gaia adoentada, o bizarro autoexperimento humanoide. Revigora-te dos estrames inquisitórios, rosáceas espinhas de dissabores, ácidas e beladonas despenha-te ao humano que te cortou te remodelou e tuas vestes despiu. Uterina planta, nãoContinuar lendo “Pena Ulterior”