Momento Poesia

Libertação Sem amainar por ervas, nem a desculpas etílicas, desvarios amorosos que se findam: onde estão todos esses temperos? Estão libertos da minha mente. Onde estão os cianos visionários de outrora; a suavidade em formas frágeis e esbeltas, de formas sorridentes; a cúmplice dos cabelos corridos de ébano, e blusa cáqui; o cabelo chanel eContinuar lendo “Momento Poesia”

Momento Poesia

Verdade (Dolorosa) E de que adianta, propor um novo contento, se neste meu intento feridas obstinadamente construir? E de que adianta, nessa angústia em passada, o tardar duma nova alvorada seu beijo desejar e nunca possuir? E de que adianta, nesse tormento irascível o afligir-se insensível pousar nessa bela amizade? E de que adianta? NumContinuar lendo “Momento Poesia”