Saúdo-te, graça evocada

Saúdo-te com todo o vigor a letra transcorrendo em duas palavras, a vontade esperneando em borboletar o ímpeto fenícico que das cinzas ressurge. As canções fazem sentido, transparência nas tuas orbes, Máquina do Mundo aprazível que belo engenho! Muito me admira teu criador, quem quer que seja ter te conduzido à vida e dela teContinuar lendo “Saúdo-te, graça evocada”

Erato

À Eleonora Mioto. O sonho continua, e as matizes de cores imergem num degradê de sensações… Por vezes, faço questão de não ir à Conferência dos Sentimentos… Há coisas num mundo surreal dos sonhos que jamais superam essas sensações vivazes de conhecer os fatos do mundo, de compor nas ruas da ilogicidade… Dos arbustos florescentesContinuar lendo “Erato”

Mnemosine

Outro dia, eu, imerso num sonho… Estavam concentrados todos os poetas e aedos de todas as épocas. Estavam reunidos para a conferência dos sentimentos, uma conferência que ocorre ininterruptamente, em anacronia; bastava que alguma noite algum destes dormia e então o ingresso estava garantido. O Breu do Esquecimento da Lucidez, no Mundo Físico, vez ouContinuar lendo “Mnemosine”