O pseudoepitáfio poético

[dos sobrevividos arquivos de fevereiro de 2015; não ler se sensível ao poético] Meu caro diletante apreciador de poesia, ouça o que vou lhe contar: nesses tempos de apatia em que tudo é tecnológico cinematográfico e interativo trazer às penas as minhas penas é mera idiotaria Não compensa, de todo modo cantar os louvores da […]

Derradeiras Epifanias (As Primeiras de Muitas)

Fim dos tempos, a xícara de café anuncia a derrocada, as putas lotando a esquina, incorrigível concorrência, a desmagnetização planetária, o caos econômico, o terremoto some-areia, o olho-por-olho imperando, a intolerância reinando, o swing rolando, ninguém é mais de ninguém… A noite clarifica mais que o dia, a xícara de cafeína fortificada, o LSD vendido […]

Momento Poesia

Divisões Não me enxergo mais:Sim! Estou me vendocindido em dois materiaisoscilando ao som do vento. Tormento? Qual? Imagina,sou forte…Ai de minha sorte,a morte que se aproxima! Em cima? Sempre no topo,meu escopo?Subterrâneo no mundo,Estou por baixo, o fundo do fundo. Amor?Não há mais,espero que encontre neste momentooutros melhores jograis. Ais… Ais…Doem para sempre,nunca! Jamais!  Cranberries: […]