Ave, pantaneira

Saúdo-te Inajar, Caapora irmã: terra que me cedeu essa linda correspondência Beldade cor de canela dizia o Amado… mas não é Gabriela, seu Jorginho! É um lindo sorriso! Muito especial muito amor muita cumplicidade irmãos-amigos-rivais-apaixonados? Quem sabe? Só o tempo sabe a distância é muito extensa você no córdio verde, terra de Tuiuius e eu […]

Confissões [13]

I … Amiga… quase irmã… Já adianto que sentirei saudades de você… Percebo há quanto tempo o mal que unicamente foi feito de nosso convívio… A saudade será tamanha, e já sentirei estas saudades. Esse processo de irmandade… Foi tão inevitável… Tua voz de veludo, tão melíflua – aprendi essa palavra na prática – foi […]

Momento Poesia: Intitulável por sua Causa…

Dedicada a alguém que não sei se conheço ou que sei que não conheço… Olhares transpassados sempre em vista que desvanecem ao passar do tempo: como podem intuir razão quista debaixo de inglorioso lamento? Vislumbres divinos, égide feita rosáceas plumas conferem ardor desta queixa insolúvel imperfeita desata num nó noturno calor. Concede teu afeto tão […]