Confissão (2)

Mas, enfim, eu vi tudo o que você queria. Vi na janela da alma o que você queria, não porque você mostrou pra mim, mas porque eu extraí de você. Sim! Eu extraí isso de você, abrindo carta branca do que eu sentia por você. Agora você sabe, amiga, que eu não sabia de você em mim, e eu queria saber de mim em você. Você disse que “não” pra mim… Tudo bem, isso admito. Mas também não diz “sim” para o outro. E isso me perturba. Sinto um ambiente suspenso. Entre vocês há um penhasco, bem profundo, vertiginoso. Só que tem uma ponte ligando os dois desfiladeiros. Mas que droga! Vocês sequer estão com coragem de atravessa-la. Que é isso? Medo de que a ponte esteja quebradiça? Ah, faça-me o favor… Foi-se o tempo em que cada um de nós tinha o colo seguro e protetor de mãe para nos proteger. Tá na hora de vocês – e eu também – correr o risco de atravessar a ponte.

Mas, pra falar a verdade, já corri esse risco tantas vezes com tantas pessoas dos dois lados do desfiladeiro. Eu garanto: atravessa-lo não é nenhum prejuízo. Apenas vejam onde os passos desgastaram a madeira: ali é seguro pisar.

Mas faz favor, você, amiga, e ele: não me façam mais de garoto de recados e caixinha de segredos. Não sou padre, tampouco cupido ou túmulo pra guardar segredo. Logo, logo, desanimo do meu ideal de vida e vou ser mais um desses pobres coitados autômatos da sociedade, cobrando por terapias de casais que sequer deram as mãos na vida real.

É isso! Decida o que você quer de sua vida, amiga. Porque eu já decidi seguir o meu trajeto, e ele não inclui mais passagem em sua vila…


Ouvindo... Rush: Force Ten

Anúncios

Confissão

Tua suavidade é meu veneno, amiga. Tua suavidade, teu alheamento não-intencional, tua ternura, tudo isso me confunde, me inebria e encarece de me deixar em dúvida sobre mim mesmo. Será que te quero? Será que te quero bem? Será que te quero aqui, agora, do meu lado, ouvindo o que ouço e compartilhando de um mundo que você acha intransponível? Não sei… Há um caminho tortuoso entre nós, você o reconhece e o repudia. Mas, ao mesmo tempo que você o repudia, não o previne. Bastava uma palavra mágica na sexta-feira, sábado eu estava aí do seu lado, tentando entender como funciona esse fluxo de pensamento tão inconstante teu. Inconstante como uma pena que corre o teu papel florido e enfeitado… Caderno de jovem adolescente, que sabe o quanto a vida é cruel e, mesmo assim, ainda sonha com teu cavaleiro de armadura que te resgate dos sultões perniciosos e lhe dê aquele beijo tão esperado, não mais no final da história, mas no começo de uma nova.

Fala dele, dele… Mas tudo parece tão para mim, as pistas todas conspiram para mim… Não sei, deve ser minha imaginação e meu vazio afetivo dizendo que sim, são… Se ao menos você me convidasse pr’um café, pra confessar olho-a-olho, sem precisar dizer que “ele” é o outro, ou – o que melhor esperaria – o “ele” fosse eu. Eu sei que se olhasse teus olhos, você com certeza confessaria tudo, mesmo que não desejasse confessar. O olho, já dizem, é a janela da alma, e não fosse essa distância, e esse bloqueio comunicacional entre nós – apenas essa mera troca de cartas – saberia o que você queria de mim, e eu saberia o que eu realmente queria de você… E você saberia disso, sem devaneios.

Mas agora estou achando que está sendo muito tarde… Você, minha amiga, está cansando de esperar resposta e esse “ele” pode acabar se tornando uma terceira pessoa: nem o outro, nem – para meu desespero – eu.


Ouvindo... Jethro Tull: Teacher

Devaneios

A alguém em especial… Abraço pela esquerda

A procura das imagens que sempre expressassem o poder das palavras fomentou meu espírito nos últimos tempos. Espero que a imagem não supere o poder do verbo. Espero que o poder do verbo não supere o afeto.

E espero que meu contrário, meu oposto complementar, esteja diante da escrivaninha, opondo todos os meus diálogos, consagrando todos os meus interditos, e fazendo desta dialética que é a vida uma aventura digna de ser contada para a posteridade.

E espero que ela esteja munida de uma singela felicidade, assim como eu, dos eventos ordinários e corriqueiros da vida, que se apresentam no desabrochar duma flor ou no subir no pé de amora.


Ouvindo... Coldplay: Violet Hill

Videocast da Temporada

O #Fiasco 7

Película Em mais um videocast:

  1. As expectativas que não cessam Smiley indeciso;
  2. Smiley indeciso Um balanço permanente dos tempos de férias (feitorias e não-feitorias);
  3. Projetos iniciados, como a Terra Animaldita:
  4. A falta de planejamento para um videocast decente (ou o metavideocast) Smiley confuso;
  5. Coisas que deveria ter cuidado mais, conforme metas que estabeleci em determinados traçados que pretendo seguir Alegre (diga-se: origens de espiritualidade);
  6. Sim! Eu vi o Playmobille em São Paulo, e gostei demais da banda! Quero um repeteco algum dia!! Garoto paquerando

Acho que foi assunto suficiente pra dez minutos. Eis a obra inacabada:

http://static.livestream.com/grid/LSPlayer.swf?hash=3ut54


Ouvindo... The Strokes: Last Nite

Lembrando dos meus tempos de andanças pela minha querida Osasco, com esta…

Terra Animaldita #001

Ovelha Negra Cachorro Gato Flane Phoenix é um fotógrafo e jornalista que foi enviado para fazer uma reportagem em Sumidouro, um lugarzinho nos cafundós do mundo…

     

Smiley indeciso Mal ele sabe que entrará de cabeça na história de sua vidaSmiley sarcástico


Aguardem pela publicação seriada em lotes de seis quadrinhos – sem periodicidade específica – para saberem no que essa história vai dar.

[espero mantê-la, principalmente nos momentos mais ocupados também].


Ouvindo... Steve Vai: Brother

Videocast da temporada (em substituição ao anterior)

Computador Película Finalmente consegui produzir O #Fiasco, cena 6.

Em mais um videocast discursivamente despreparado:

  1. Smiley mostrando a língua Onde fui parar após as Letras (a continuação do curso, diga-se de outro modo);
  2. Smiley de boca aberta A melhor gramática que estou lendo na minha vida (Procure pela internet por “Nova gramática do português brasileiro, de Castilho. Se você tiver paciência para um denso trabalho acadêmico, texto, quadros e tabelas, achou a tua gramática).
  3. Smiley sarcástico O projeto dum grande colega de clube de leitura: vinga ou não vinga?;
  4. Smiley indeciso Quem serão nossos novos bixos e bixetes?;
  5. Smiley contando um segredo O confessionário com amigas (a.k.a. segredos não reveláveis);
  6. Smiley nerd Projetos a conduzir e pendentes para as próximas férias;

E como não pode deixar de ser, o link para o vídeo:

http://static.livestream.com/grid/LSPlayer.swf?hash=3op2u


Ouvindo... Bad Company: Can’t Get Enough

Portifólio Artístico

Para Conhecer Meu Lado Chargista

Mais visível para quem me tem como amigo do Messenger, adicionei hoje de manhã pouco mais de trinta artes que fiz dentre os anos de 2002 a 2006.

São trabalhos em que fixei uma personalidade de desenho de caricaturas que se mantém até os dias atuais. Todos os trabalhos estão disponíveis em meu SkyDrive, inclusive os mais recentes estão lá.

Para acessá-los, basta clicar logo abaixo.


Ouvindo... Player da Rádio Eldorado FM (sendo transmitido da casa inteira)


Antes de ir, um pequeno jabazinho (eu também ganho com ele Nhé-nhé)

Não se esqueçam da oferta que promovi no Facebook e no Twitter: os primeiros 11 que clicarem nos links abaixo e se cadastrarem, terão direito a um serviço de disco virtual de 2 GB, mais 250 MB de lambuja por ter aceito o convite. E a cada convidado, você ganha mais 250 MB, até poder expandir gratuitamente seu Dropbox a 10 GB!!

Alguns já aproveitaram. Já são 11 menos alguns… E você?

Clique em um dos links abaixo:

Computador http://db.tt/p5DnrJe

Computador http://db.tt/bF0a32J

É isso aí. Vejo vocês em breve, com novos pitacos artísticos neste meu grande projeto de blógue, unificado.