Melissa: A Dupla [3]

Dia dez… Me parece que, apesar da manhã nebulosa que faz aqui em São Paulo, eu e a minha – estranhamente atraente – irmã Daph seguimos nosso caminho pela linha que passa ao lado do Eldorado, em meio-ligeiros cinco minutos até a padaria da Estrela, onde vamos desembarcar e caminhar até a Cidade Universitária. DeContinuar lendo “Melissa: A Dupla [3]”

Melissa: A Dupla [2]

A terça de manhã me soa surreal… Do nada, já me desperto dum desperto muito inócuo, lembro-me dos ruídos incessantes tomando posse de meus ouvidos, Cara, como eles zunem até agora, Lembro-me dum sonho tão palpável mas tão palpável, uma narrativa tão acessível, Será que foi verdade? Não, não pode ser, Eu não acredito nessasContinuar lendo “Melissa: A Dupla [2]”

Melissa: A Dupla [1]

Cinco e meia: o meu despertador toca, e é engraçado! Eu sempre costumo despertar do lado esquerdo da cama, e agora estou despertando do lado direito, e o que é mais interessante é que sequer dei de cara com a parede, mesmo sabendo que na noite anterior, tava lá ela do meu lado direito, portantoContinuar lendo “Melissa: A Dupla [1]”

A Máquina do Mundo

Gênese (…) O amor existe, mas não num ser vivo que se move. O inesperado insinua-se no que parece definitivo e ninguém se conhece antes de morrer. Ámen. Gonçalo M. Tavares, “Uma Viagem à Índia”, canto IX, 89 – Sr. Orson… Orson estava aos delírios… Tinha pedido a décima xícara de café só aquela tarde…Continuar lendo “A Máquina do Mundo”

Karta Citina: Oito

Capítulo 8 Hamburgo, Norte da Alemanha, 15 de abril de 2024 Por sinal, ainda Hércules e Yüren percorreriam mais uma semana juntos no mesmo grupo maior de comitivas. Hércules fora designado a participar da comitiva constituída de quatrocentas pessoas para auxiliar as forças locais da Suíça e da Áustria, e nesta cidade, cujas edificações maisContinuar lendo “Karta Citina: Oito”

Karta Citina: Sete

Norte de Samara Assim que Yüren e Hércules chegaram ao quartel-general da instituição, o jovem finlandês tomou imediatamente a iniciativa de informar-se sobre as pessoas que naquela região haviam sofrido com as tempestades. Descrevendo detalhadamente, e fazendo-se valer de uma foto em um de seus aparelhos de navegação global da Bárbara, obteve dos bancos deContinuar lendo “Karta Citina: Sete”