O pseudoepitáfio poético

[dos sobrevividos arquivos de fevereiro de 2015; não ler se sensível ao poético] Meu caro diletante apreciador de poesia, ouça o que vou lhe contar: nesses tempos de apatia em que tudo é tecnológico cinematográfico e interativo trazer às penas as minhas penas é mera idiotaria Não compensa, de todo modo cantar os louvores da […]

Visionaridade (ou Manifesto Visionarista)

Douglas Potingatu Alea jacta est. Eis-me, de alegoria fantasiosa simples Lilith Gott, simulacro da beleza feminina: pus-te em pedestal ultraportentoso num lugar sagrado uma profana fescenina de poeta pretensão quase a vida tangenciou e de sublime enredo quase me olvidou É que, no tocar do masculino e feminino coisa vária revelação onanista me ocorreu: o […]

Babilônica no. 1

Canto-te, oh, nova deusa, se prolifera impera um novo mundo rematriarcal impõe-se ante os amaldiçoados cananeus faz dos novos filhos filhos teus Performatiza, oh divina quintessente presente na realidade funesta que agoniza peço em teus intentos que considere nos nossos vícios prenúncios de benesse Superar-me, cosmopolita, faz-se em teus fortes tons pespegam a aura indulgente […]

Ao Titio

De lá ao longe veio um titio Carlos Márcio é o nome dele. Tal qual como seu antepassado germânico ele bradou a ferramenta sobre seu coronel. Hoje ele é bem cotado em toda nossa vizinhança mas teve tempos que ele não era visto com boas lembranças. Jornalista que fora no local deixou seu recado e […]

Retificar

Tenho que me retificar: quero plantar a zueira e ver este, penta, canarinho Cantando, chiando pelos cantos o mal preparamento de seu ninho A canção, lisonjeira e fugaz da sexta hora que nos sovietes melhor fora por dezesseis minutos chegar Que desgosto, plantado, efrente a coisa daqui em diante o Dante Inferno tomar premente? Canarinho, […]

A Caneta Magnum

Suicídio ao positivismo produtivo e otimista Cada palavra funciona como veneno antípoda Déspota assassina a pena que digita Persuade ao mal que duvida e incita Maldade ao córdio intento de amar e dar contentamento Pensa e pensa impinge a dúvida e o deslize Rubro e preta a sobriedade poética da cinzenta urbe Da desordem proclamada […]

Remake-ing

Vórtice: doxoduto ad infinitum Triunvirato cosmicum babilônico desvario Se manifesta védico compêndio upanishad ulterior Deslocamento espaço-temporal conceito profuso, fato inerte Esvoaça! Esvoaça!!! apocalíptico o desvelo terrível e a redenção no ajoelhar diante da imagem curvilínea áurea virtude nevisse presente Qual diva circuncisa qual musa conspurcada qual vate incrédulo qual desafio prospecto qual uno proveito qual […]