Pena Ulterior

Laça-te às demandas, arboráceas da Terra, consumam de teus flancos os pungentes dolores da Vida macabra, àquela que lança em teus antros, ó Gaia adoentada, o bizarro autoexperimento humanoide. Revigora-te dos estrames inquisitórios, rosáceas espinhas de dissabores, ácidas e beladonas despenha-te ao humano que te cortou te remodelou e tuas vestes despiu. Uterina planta, nãoContinuar lendo “Pena Ulterior”

Lúgubre

Em memória das pessoas finadas, todas elas…Sobretudo, e não menos, Marielle Franco Veja, que são enterres as cruzes assim feitas pespontando que são não assunções do Deus cristão Veja, que impunidade apontar o declarado lúmen como inocente do mundo e o lúgubre à margem de vilão Olhe, audácia infausta tanger o argumento nefasto o fastioContinuar lendo “Lúgubre”

Metarrealidades Aporéticas e Literásticas: A Máquina, crônica 5

Dedicado a impressões de N. Y. Eu tenho um severo problema de saturação de informação visual desde dois mil e cinco. Acho que os dezoito anos trazem consigo, misticamente, uma desativação da capacidade cognitiva de filtrar informação visual relevante. Quase entrei num pinel por causa disso à época – por isso e por outras coisasContinuar lendo “Metarrealidades Aporéticas e Literásticas: A Máquina, crônica 5”

Confissões [24]

Eu vi teu rosto, tão linda, em um sonho, carinho de meu coração. Teu rosto, desperto, me causou uma sensação fascinante. Fascinante por ser assustar deveras. Jamais o susto do Horror, extremamente o contrário: é o susto daquele Destino, que não deixa a gente fugir. É aquele susto que persiste, insiste e divaga, por temposContinuar lendo “Confissões [24]”

Minutas de um Executor Oficial

Nota de antecipação: o conto não representa opinião do autor, constituindo-se apenas duma ficção – indesejada, porém necessária – para propósitos que não os literalmente nele explicitados. Nota sobre a nota: parece idiota fazer esse apontamento, mas dado que há ausência de dividir o ficcional de uma vontade de parcela da população atualmente mundo afora,Continuar lendo “Minutas de um Executor Oficial”

Confissões [23]

Esquadrinhadoras de alma Então, amiga… Num momento foi uma, depois se multiplicaste… Cantei-vos num momento ímpar da vida. Hoje já não é mais este, tão ímpar assim. Tudo segue e segue muito rápido. Ontem ainda contava as pedrinhas lá longe, pensava nas pequenezas da vida.

Crônicas busionais #1

[dos arquivos manuscritos do autor de idos de 2013; adições e afetamentos de juízo retificados, entre colchetes] O folclore busional – ou folclore de busão, para os mais desacostumados, como os solitários motoristas – é uma realidade presente, sobretudo, na ida e volta de grandes distâncias. Uma fórmula matemática verifica que a diversidade cultural (hã?)Continuar lendo “Crônicas busionais #1”