Confissões [22]

Chegaste tão repentinamente, amiga… Tua presença nem fora notória. Eu fiquei sobretudo em assuntos triviais contigo. Um golpe de chuva… Um respingar em nossas faces… Oito segundos… Passou uma vida diante de meus olhos. Permiti-me te permitir a me esquadrinhar. E tu, à maneira de Heidegger, mostrou o Dasein que haveria em minha volta. Disse-meContinuar lendo “Confissões [22]”

Em homenagem a B.V. (ou sobre as Baleias Azuis)

Na baleia azul – a portentosa musculus vigora a gigante pulsão da vida: em teu masculino ato copulatório, as aqua-sementes, quando não germinam em uterino blau-grande-balinácea prosperarde provento a outras vidas, coralíneas, pequenos písceos e outros demais no ecossistema a vida suportais em comunhão com seu triste assaz soar. Fazemos mênção a esse pequeno epitáfioContinuar lendo “Em homenagem a B.V. (ou sobre as Baleias Azuis)”