Confissões [21]

Amiga, que sempre comigo esteve, não sou mais o mesmo. O poeta que te cantava com fervor foi aposentado. Dele surge a poesia tão-apenas como negócio, um exercício de erudição, uma tentativa de não se sentir tão qualquer-um. A reticência também aos poucos será aposentada, sendo a ela delegada apenas o interlúdio do não-dizível, dasContinuar lendo “Confissões [21]”

Publicidade

Sobre o grande Hiato das publicações

Hi.a.to (do lat. hiatu) s.m. […] 4. (fig.) Lacuna, falha. (do dicionário escolar de língua portuguesa Michaelis) Enfim, me vejo diante destas linhas de edição, após um hiato de pouco muito mais que de quatorze meses. Para quem tinha o costume de acompanhar o que eu tinha a dizer, acho válido ceder algumas explicações aContinuar lendo “Sobre o grande Hiato das publicações”