Donzelisflêurica

à MGRC… dumas notas que perdi


Sentado à janela
de Guaratinguetá
vi uma flor bela
e me lembrei de Paquetá
lembrei do nome dela
e me vi mais que angá

Gabriela, flor e canela
já dizia o meu Amado

Bárbara, bela
sempre me deu caldo de maracujá
como pode percebê-la
mais docinha que o cajá
e presente nesta querela
de Indaiê ou Indajá?

Gabriela, flor e cravo
já dizia o meu Amado

E pensei, noutros nomes mais bonitos
mais nenhum me veio em desvelo
outros rostos mais queridos
mas em nenhum mais eu me congelo
penso em você, querida de cachitos
e de portes mais belos

já dizia o meu Jorge
e a resposta, meu Amado,
Gabriela, cravo e canela.

(outro poema em melhor sentimento
deveria estar aqui
mas de bonito fosse
melhor mesmo se extinguir)

Publicado por oristanioscapp

Escritor dos subúrbios, com um toque de bucolismo.

%d blogueiros gostam disto: