Mnemósine Encarnada

No vigésimo trino do segundo ciclo lunar do décimo, trino-milenar Eis que surge brônzeas madeixas animação efusiva Fã de desenho me lembrou dos tempos de infância De maneira oitentista os seus mais vinte vividos sabem o que quer Decidiu conhecer o Olímpico Panteão da infindável investigação Ela é a desconstrutora do discurso frágil Ela éContinuar lendo “Mnemósine Encarnada”

Crônicas paulistanas

Transporte: um rito de passagem… De passagem mesmo! A passagem que você pega nos bolsos e passa na catraca à espera do busão ou do “lagarto de ferro”, como outrora vi o poeta falar. Mundos? Os mais variados possíveis: universos particulares que se manifestam encapsulados em fones de ouvido. Alguns, a propósito, se expandem deContinuar lendo “Crônicas paulistanas”

Crônicas de um interior

O indivisível   Muitos rostos passam diante da nossa vida, mesmo sem sair de casa. Alguns passam. Outros permanecem. Alguns poucos persistem e acompanhamos a evolução natural do processo do tempo. Um ou outro se tornam familiares. Contáveis-nos-dedos significarão muito em toda a nossa vida. Mensurar isso é, ao mesmo tempo, programático e fora-de-regra. OContinuar lendo “Crônicas de um interior”

Orbes Liliânicas

Em razão de um passado misteriosamente divertido dedico essa poesia a quem nem bem conheci e passei a admirar “Lilywhite lilith,She gonna take you thru the tunnel of nightLilywhite lilith,She gonna lead you right. “(…)She leaves me in my darkness,I have to face, face my fear,And the darkness closes in on me,I can hear aContinuar lendo “Orbes Liliânicas”