Saúdo-te, graça evocada

Saúdo-te com todo o vigor
a letra transcorrendo em duas palavras,
a vontade esperneando em borboletar
o ímpeto fenícico que das cinzas ressurge.

As canções fazem sentido,
transparência nas tuas orbes,
Máquina do Mundo aprazível
que belo engenho!
Muito me admira teu criador,
quem quer que seja
ter te conduzido à vida
e dela te fazer singular.

É nova poesia? Não, confesso,
já teve mais perniciosas antes
mas cada performance é divina
cada respiro faz sentido
nesse urbanoide caos que vivemos
te vejo, flor-de-lis primaveril
a acossar sem dó nem piedade
a alma do poeta…

Que deseja a Máquina do Mundo
como reflexo do epifanico saber
do vórtice do frenesi e do Amor livre.

Faça-me o favor: escuta e prestifique
pois meu convite é direto:
a saudação e tua graça evocadas
nada mais são
do que um convite
de desflorescer
a vontade do poeta.


Ouvindo... Elton John: Simple Life

Publicado por Potingatu

Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa (2010-7), FFLCH / FEUSP. Aspirante-a-mestre-acadêmico não-qualificado em Filología e Estudos do Discurso em L. P. (idem, 2017-8). Pesquisador juramentado diante do MCTI de Marcos Pontes e com préstimos ao 🇧🇷. Sigamos!

%d blogueiros gostam disto: