Melissa: A Dupla [2]

A terça de manhã me soa surreal… Do nada, já me desperto dum desperto muito inócuo, lembro-me dos ruídos incessantes tomando posse de meus ouvidos, Cara, como eles zunem até agora, Lembro-me dum sonho tão palpável mas tão palpável, uma narrativa tão acessível, Será que foi verdade? Não, não pode ser, Eu não acredito nessas […]

Melissa: A Dupla [1]

Cinco e meia: o meu despertador toca, e é engraçado! Eu sempre costumo despertar do lado esquerdo da cama, e agora estou despertando do lado direito, e o que é mais interessante é que sequer dei de cara com a parede, mesmo sabendo que na noite anterior, tava lá ela do meu lado direito, portanto […]

Saúdo-te, graça evocada

Saúdo-te com todo o vigor a letra transcorrendo em duas palavras, a vontade esperneando em borboletar o ímpeto fenícico que das cinzas ressurge. As canções fazem sentido, transparência nas tuas orbes, Máquina do Mundo aprazível que belo engenho! Muito me admira teu criador, quem quer que seja ter te conduzido à vida e dela te […]