Confissões [15]

Razão… A razão me chama, minha amiga… Pede pra te dizer adeus! Não dá mais pra viver à custa de sentimentos. Tá na hora de acordar pra realidade no raiar do sol, de encontrar caminhos certeiros… Não mais o calor córdio, não mais o ímpeto emocional. Resultados! Resultados! É tudo que me pedem, e é tudo que preciso oferecer.

Eu sei disso porque, amiga, você seguiu o mesmo princípio: vai formar tua vida profissionalmente, vai fazer algo de útil e não vai se deixar enlevar por essas coisas desse demiurgo de marca maior…

Não mais durante a luz do sol me permitirei distrair-me com floreios, enfeites e adornos desnecessários. O tempo da poesia à luz do dia acabou. Agora é hora de trabalhar…

Pelo menos, amiga, me dê um sorriso no início de noite. Porque somente nessa hora plácida, eu resgatarei todos esses projetos da alma adormecidos.


Ouvindo... Elvis Costello and The Attractions: Uncomplicated

Publicado por Potingatu

Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa (2010-7), FFLCH / FEUSP. Aspirante-a-mestre-acadêmico não-qualificado em Filología e Estudos do Discurso em L. P. (idem, 2017-8). Pesquisador juramentado diante do MCTI de Marcos Pontes e com préstimos ao 🇧🇷. Sigamos!

%d blogueiros gostam disto: