Confissões [8]

Enfim, amiga… Eu sinceramente não sei de mim! Reconheço na minha pessoa um ser duplo, triplo, múltiplo, pois que ao mesmo tempo que juramento a mim mesmo que te respeito, eu te traio em pensamento por uma pele macia, por um olhar penetrante, por um sorriso meticuloso. Como pode isso? Realmente eu não sei… Saia […]

Enfim, o quarto semestre

Depois de tanto escrever no livro original e digitar a cópia de segurança, enfim disponibilizo pra vocês a versão atualizada da USPianeia. Ela estará de modo permanente no lado direito deste blog, ou, se preferir, através deste link, fresquinho para apreciação. Eventuais erros de digitação serão posteriormente corrigidos. Para melhor detalhamento, leia as notas nas […]

Andamento dos Projetos

Ficaram por faltar muitas coisas relativas aos meses de Outubro, Novembro (este em especial) e a primeira semana de Dezembro, que por motivos de atividades mais prioritárias, não puderam ser elucidados aqui. No entanto, os aspectos de memórias andam vivos em mente para concluir os escritos do quarto semestre da USPianeia, da qual me valho […]

Confissões [7]

Por favor, minha amiga; reconsidere meu pedido: sofro incessantemente no recôndito do meu aconchego a hostilidade do desentendimento e da Discórdia, filha da Noite funesta. Quem me deveria ser exemplo não faz mais que decepcionar, diante de tanta briga e confusão, diante de tanto ego ferido querendo se sobrepor e diante de tanta fútil necessidade […]

Derradeiras Epifanias (As Primeiras de Muitas)

Fim dos tempos, a xícara de café anuncia a derrocada, as putas lotando a esquina, incorrigível concorrência, a desmagnetização planetária, o caos econômico, o terremoto some-areia, o olho-por-olho imperando, a intolerância reinando, o swing rolando, ninguém é mais de ninguém… A noite clarifica mais que o dia, a xícara de cafeína fortificada, o LSD vendido […]

Confissões [6]

Enfim, minha amiga, sinto sua falta… A negação da existência primordial, descendente da Noite Caótica, me cerca de uma tal maneira tão perturbadora, que jamais antes fez. Ela tomou, persuasiva, todos aqueles que à minha íntima volta convivem, prenunciando o fim dos tempos. Eu sei que sou forte, mas não sou uma muralha indestrutível. Se […]