Momento Poesia: Carta de uma mal-amada


Eu penso,
que você poderia
erigir este túmulo para mim…
Coloque isso no meu testamento.

Eu penso,
que você poderia
fazer louvores à minha pessoa…
Coloque isso no meu testamento.

Eu penso,
que você poderia
pensar mais carinhosamente em mim…
Coloque isso no meu testamento.

Eu penso,
que raiva! Que merda!!!
Você não olha pra minha imagem…
Não ponha isto no meu testamento.

Eu penso, penso,
e de tanto pensar,
imagino você em meu espelho…
Escrevendo o meu testamento.


Ouvindo... Uma sugestiva aula de literatura portuguesa

Publicado por Potingatu

Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa (2010-7), FFLCH / FEUSP. Aspirante-a-mestre-acadêmico não-qualificado em Filología e Estudos do Discurso em L. P. (idem, 2017-8). Pesquisador juramentado diante do MCTI de Marcos Pontes e com préstimos ao 🇧🇷. Sigamos!

%d blogueiros gostam disto: