Momento Poesia

Indigonista

Lexapren, Hidroclorotiazida,
duplo-cego Haloperidol-Aripriprazol;
cinco tubos com amostras de 5 ml de hemoglobinas trifiltradas cada,

Um retrato do meu interior…

Todo dia, tomar cinco cápsulas
(duas de manhã, antes do café,
e não posso tomar suco de uva!)
e encarar essa complexa realidade…

Saio de casa para a padaria:
fecham-me a porta.
Sigo para a escola:
ninguém conversa comigo.
Lá no meu ofício:
estou sem meu cartão-de-ponto.

Por que tudo isso? Simples –
simplesmente eu não existo
e sou um produto da sua imaginação.

(Composto nos dias 21 e 25 deste mês)


Ouvindo... Creedence Clearwater Revival: Lookin’ Out My Back Door

Momento Poesia

Libertação

Sem amainar por ervas,
nem a desculpas etílicas,
desvarios amorosos que se findam:
onde estão todos esses temperos?

Estão libertos
da minha mente.

Onde estão os cianos visionários de outrora;
a suavidade em formas frágeis e esbeltas,
de formas sorridentes;
a cúmplice dos cabelos corridos de ébano,
e blusa cáqui;
o cabelo chanel e os olhos de bolotas;
a roqueira efêmera de alma noturna e sorriso impávido;
a alva face de doçura por quem enlouqueci firmemente;
e os olhos cristais-salinos de voz loquaz?
(Ai que por esses últimos sofri demais…)

Estão libertas
da minha mente.

Mas será que o quanto esta mente mente firmemente?

Ela nada mais quer que me enganar,
e me dizer tudo isso que imagino,
pérfido, laborioso,
libidinoso,
em desvarios perpassantes regidos a um Positivo Real Amor,
nos arranhados das cordas elétricas…
Cordas sensitivas, fugazes…
Não vejo mais Mensageiras no meio do caminho.

Estão libertas,
na minha mente.

Que me declara, insanidade arredia,
espera um tormento derradeiro transtornar…
o fim de seus dias,
para abrir seu sincero intento
de ser sincero com teu biológico?
Predestino, cadê você?

Está se libertando
de minha mente.

E que me adianta,
espero sentado a torrente passar
sem antes construir um dique,
um dique, mas aonde?

Está se rompendo
na mente! Ajude!!!

Uma lágrima aqui não é mais sincera,
só sobrou a razão, que antes parece mais austera
irrompendo neste recomeço.

Sem ervas, desculpas, desvarios…


Ouvindo... Yes: Real Love