Momento Poesia

Over-loading ou Poesia de Pseudo-descompromisso implícito

Começa…

Meu desabafo tremendo é sobre um momento escuso,
difuso ao tempo espaço obtuso e recluso no recôndito,
o peito amaina mas o cérebro não deixa confuso,
e desvanece numa canção ausente de temperamento.

Tudo em descarga emocional, frenética, convergente,
provocando uma melancolia displicente,
nessa sobrecarga de sentimentos que se detém afora, mundo abaixo, sem imagens e éteres disfuncionais que implicam nesta razão diversa.

O overloading overloaded!

Nem todo processador do mundo,
é capaz
de conhecer esta disfunção social.

Descalculada,
os arreios já se perderam:
não há mais formas prendendo este gás do riso,
que desvanece no ar.

Poesia a se descompassar, extinguir,
comprimir na sua finitude sua veracidade absoluta… Fajuta!
Fui o Homero de meus tempos,
menosprezado pelo imediatismo permanente, animal, difuso.

Confuso? Confusa? (Sim, você que encontraria belas palavras, minha cara amiga)
É difícil conhecer o que há nesse baú de carga,
em sobrecarga-sobrecarga.

É o overloading, to over-load.
Mal sabe no que isto resulta:
peças soltas dos últimos tempos, desvendando
na função primordial absurda
que se espera da existência.

There are many overloads fill up the free space. Please take care and reboot your system!

É fácil falar,
quero ver se fazer.
não há como desaparecer
com isso debaixo dos panos.

Critical memory! Close all opened applications!

Quem me reprime,
diga, vamos!!!

We report a bug! We’ll be trying to fix it in a few minutes…

Tente… Pode tentar,
pois esse over-loading
nunca irá acabar…


Ouvindo... Candlebox: Far Behind

Publicado por Potingatu

Estudante de Língua Portuguesa e Linguística pela FFLCH - USP (2010-5), entusiasta e experimentador do máximo de artes que for possível.

%d blogueiros gostam disto: