Elopeia (vv. 83-100)

Mas é certo vê-la mais uma vez? O tempo dirá
os reencontros que daqui em diante teremos:
cada “bom dia!” recebido, cada “obrigada!” valerá
o quinhão diário, sorte fortuita somenos;
outras beldades virão: será certo e inefável
admitir que concorrer terá tal simpatia;
mas asseguro, certeza, estas madeixas não esqueceria,
particulares, sem igual, beleza incopiável.
Mas teu estatuto maior de memória nada se compara
ao espírito alegre, juvenil, feliz que surpreende;
caráter íntegro, contente humor… Quem te vê, repara
e toda essa homenagem considera e entende.

Ventura seja seu caminhar, iluminada amizade
e ditosos os feitos que faça daqui por diante.
Multipliquem-se tais momentos, mesmo num instante,
esse duradouro e eterno convívio: verdade!

Encerro, Musa, este singelo poema, leve como canção,
e dedico à grande Eleonora, irmã de coração.


Ouvindo... Oasis: Where Did It All Go Wrong?

Projeto grande de férias concluído com êxito! Alegre

Publicado por Potingatu

Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa (2010-7), FFLCH / FEUSP. Aspirante-a-mestre-acadêmico não-qualificado em Filología e Estudos do Discurso em L. P. (idem, 2017-8). Pesquisador juramentado diante do MCTI de Marcos Pontes e com préstimos ao 🇧🇷. Sigamos!

Um comentário em “Elopeia (vv. 83-100)

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: