Um balanço parcial do segundo semestre

Comparações, reajustes de compromissos, desencontros… Um resumo parcial do período.


A expectativa de permanecer junto com muitos dos colegas – ao menos, os mais chegados – nas mesmas classes foi descontinuada devido ao sistema de matrículas da USP. Eu, em particular, estou acostumado às mudanças anuais de turma que tive no ensino básico; mas o choque foi grande ao saber que isso ocorre, de forma natural, semestralmente.

Bom… Informação para isso e preparo espiritual eu devia ter para tal fato, mas ainda posso dizer com propriedade que, mesmo não sendo designado para as classes desejadas, ainda tive sorte em ter matérias com determinados professores. O não-estar com alguns professores foi compensado pela competência dos atuais.

[E isso não é bajular pelo fato de que tal artigo está posto, publicamente, a todos.]

Mantive algumas notas no mesmo limiar. Tendo o mesmo esforço, é quase certo que vou conseguir ingressar na habilitação desejada, que é a de Linguística.


Email Fato rápido: acho conveniente contar, num momento oportuno, como defini a Linguística como opção preferida para prosseguir meus estudos nas Letras.


Não posso me esquecer, contudo, que ainda mantive um relativo e bom contato – a despeito dos desencontros – com os colegas de costume. Alguns ainda permaneceram junto comigo em determinadas aulas, mais do que a princípio imaginava.

Mas o tempo passa rápido… E por mais que apreveitemo-lo, sentimo-nos prejudicados pelo seu vagar constante.

Ainda deu para circular nos metrôs, com Esther, Elô, Esther e Elô…

Sem falar nas idas ao Centro Cultural São Paulo, que se tornou um local alternativo para cobrir a tarde.

As manifestações? Bom, para não ficarmos com “saudades” delas, elas ainda ocorrem.

Os colegas? Alguns, um pouco preguiçosos, aprenderam algumas lições e voltaram à atividade. Outros nitidamente estão direcionando esforços para outras áreas do conhecimento. A estes últimos, quando se cultiva muitos convívios, é de se esperar que em algum momento, alguns reavaliem sua caminhada.

Certas pessoas desenvolveram dúvidas, que sanaram com um refletir. Outras reavaliam conceitos sobre a existência – inclusive eu.

E, no geral, percebemos que estudo, numa das universidades mais conceituadas do país, não é uma brincadeira. É mais que notas. É mais que presença. São compromissos.

Talvez o fato de ficar querendo reproduzir fielmente o semestre anterior criou uma prejudicial comparação do período. Sorte que acho que vislumbrei o fato em tempo, e fiz da mudança novo aparato de histórias, que estarão neste projeto principal da epopeia USPiana.

E que as novas surpresas não demorem a chegar. Há ainda muito a ocorrer neste mês em que se encerra as atividades. Cerca de vinte dias – segundas a sextas, que a princípio seriam liberadas, mas que pessoalmente faço um aproveitamento extra – podem definir ainda muitas histórias dignas de serem “documentadas” pela “Musa-Mor” nos anais da USPianeia.


Ouvindo... Grateful Dead: All Along The Watchtower [with Bob Dylan]

Publicado por Potingatu

Estudante de Língua Portuguesa e Linguística pela FFLCH - USP (2010-5), entusiasta e experimentador do máximo de artes que for possível.

%d blogueiros gostam disto: