Cartilha de Iniciação Artística

Leia isto antes do ofício


Então… Você quer ser um artista, o manifesto vivo das Artes?

Ouça o que a voz da geração anterior tem a dizer pra você:

Em nada compensa essa maldição! Nada!!!

Primeiro, você tem como regra estar insatisfeito com o mundo, brigar com ele. Você vira quase um Jesus Cristo, salvo a escala de santidade, importância histórica, eclesiástica e uma renca de fatos que passam longe do senso comum. Todo dia, pesa uma cruz sobre você. E há um diferencial: você não vê a redenção do seu legado. Muitas das vezes, nunca verão após o findar da sua existência por aqui.

E artista não tem muita afinidade com um possível sacerdócio. Ele passa de longe por isso.

Segundo, você tem que estar imerso no recôndito da sua alma, descobrindo a si mesmo. Já é difícil perceber o que há nos outros – e há artistas que fazem exatamente isso; darem-se ao trabalho de psicanalistas – imagina sobre você mesmo, já que o único ponto de vista que parece interessante a você próprio é o seu próprio ponto de vista!

E enquanto você tenta se mapear, o tempo passa, e quem gosta verdadeiramente de você vê seu falso narcisismo e te julga incoerente.

Terceiro, você, ainda querendo ser artista, terá de fazer isso uma coisa nobre, uma exemplaridade aos outros. Um trabalho de cidadania, que às vezes torna-se ao avesso. Um prazer hedônico de ser um porta-voz de uma entidade abstrata, procurando espaço coerente no mundo.

Cobrar seria ser um censor das Artes, isso não combina bem com seus princípios. Por outro lado, não são muito aprovados os artistas que mal buscam seu próprio sustento através do próprio trabalho, que dirá a Economia Nacional sobre essas pessoas que não trazem dinheiro ao país, atrasando a roda do progresso?

Por fim, seus vícios e suas virtudes se indistinguem, e você cultua o Diabo em solo sagrado e prega a Santidade em becos malditos. Bem e Mal são postos no mesmo balaio, e muitas pessoas não gostam disso – e você sabe disso muito bem.

Mesmo assim… Você ainda quer ser um artista…

Não há dúvidas que você será um escravo das cores na pintura, dos movimentos na dança, das melodias na música, e da sua própria linguagem na literatura… E sobretudo, do seu ódio poético.

Artista é um pseudo-gênio incompreendido em qualquer outra área de conhecimento julgada útil pelo senso comum de nossa sociedade. Seja ela capitalista ou comunista. Os artistas são sempre a escória, fadados a uma vida marginalizada, exclusa e abstinente.

No fim das contas, você pensou que não quer ser artista… Sim, eu sei disso. Todos sabem.

E, quando os que restaram, fiéis a esta sua função, estiverem agonizando em sua última geração, a sociedade, feliz com seu dinheiro, seus carros e suas mulheres, verá que será inútil ter tudo isso e não se gabar dos que não o tem.

Então, eles ressuscitam os artistas…


Portanto, pratique sua verdadeira arte antes que seja tarde demais…

Ouvindo... T-Rex: Get It On

Anúncios

Publicado por Potingatu

Estudante de Língua Portuguesa e Linguística pela FFLCH - USP (2010-5), entusiasta e experimentador do máximo de artes que for possível.

Um comentário em “Cartilha de Iniciação Artística

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: