Momento Poesia

Daquelas mais simples (II) ou Referência


Disposto no meu ânimo,
cantinho preferido,
espero encontrar o meu sentido.

Vou para a direita, esquerda,
acima, abaixo, cambalhota, pirueta
pertenço, não-pertenço, contenho, estou contido
existe…

E quem te disse, que teu umbigo
orbita o universo em volta dele?
Isso nada convém, em nada me interessa,
quero sua simplicidade sincera.

Ah… que riso mais cômico,
Destino cumprido,
o momento se passa como um foguete…

Por isso dou valor a quem detém sinceridade.


Ouvindo... Remy Zero: Save Me

Publicado por Potingatu

Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa (2010-7), FFLCH / FEUSP. Aspirante-a-mestre-acadêmico não-qualificado em Filología e Estudos do Discurso em L. P. (idem, 2017-8). Pesquisador juramentado diante do MCTI de Marcos Pontes e com préstimos ao 🇧🇷. Sigamos!

Um comentário em “Momento Poesia

  1. Ótimo poema!
    “pertenço, não-pertenço, contenho, estou contido ”
    Genial 🙂

    Então,
    a ‘vergonha’ do poema não é por ser uma crítica ao consumismo, mas por não estar muito bem escrito. Não me sinto segura com meus poemas, prefiro a prosa.

    Curtir

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: