Momento Poesia

Apito Final


Bola de futebol

Oval no meio de campo,
o canário azul,
o duque de Orange

O barulho do tambor da Bahia estampo,
infringindo feelin’ na África do Sul,
milhões aqui, nação distante

Ah, a rede balança, que gostoso,
Vai, seu Joaquim, manda mais uma ‘breja…

Mas o tempo é traiçoeiro: Destino inglorioso?
Quem mandou o sujeito vazar naquela deixa?

Vamos lá ave gorjeante dos trópicos,
mostra seu vigor do quíntuplo triunfo,
mostra para o que veio, astúcia e vontade…!

Soou o apito, soou assim, pessimamente, tão suave…
cornetas vaiam a decisão do oriental, ulterior,
passarinho combalido, comeu uma laranja com amargor.

Descanse em paz… Em quatro invernos… Voar tentarás!


Ouvindo... Guns N’ Roses: Estranged

Publicado por Potingatu

Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa (2010-7), FFLCH / FEUSP. Aspirante-a-mestre-acadêmico não-qualificado em Filología e Estudos do Discurso em L. P. (idem, 2017-8). Pesquisador juramentado diante do MCTI de Marcos Pontes e com préstimos ao 🇧🇷. Sigamos!

%d blogueiros gostam disto: