Progresso da Obra

Email Caros colegas uspianos e convidados que acompanham esse projeto:

Relógio Estou em dia com tudo o que deveria registrar até aqui com minha USPianeia.

Agora, toda referência que até aqui fiz agrupei no que chamei de Primeiro Semestre. Então, por exemplo, o último verso da minha epopeia USPiana é referido como (USPn, Lv. 1, 1º S, v. 1037).

[Sim, a USPianeia já alcançou 1037 versos!! Smiley surpreso]

Agora é manter o esforço para relatar em dia tudo o que for necessário relatar neste e nos semestres que virão.

Abraços a todos e sigamos em frente.

Vosso Aedo


Ouvindo... Queen: We are the champions (Absolute Classic Rock)

Anúncios

Momento Poesia

Olhares


Eu vejo
neste ímpeto relampejo
suas carnes a olho nu.

Eu ouço
a voz do seu comborço
cantando voz, grande xabu.

Eu falo
exigente ao orgulho malo
seu exibir de nuances venéreas.

Eu quero
vinte mil destes espectadores
ver espero melhores vozes de louvores.

Eu sou
o novo onisciente; acabou
seu sono a vigiar agora estou.


Ouvindo... The Rolling Stones: Honky tonk women (Absolute Classic Rock)

Cyrano de Bergerac

Escrito por Edmond Rostand


O poeta e dramaturgo francês Edmond Rostand (1868-1918), nascido de uma família provençal rica e culta, escreveu suas peças teatrais segundo os temas do figurino do Romantismo.

Em Cyrano de Bergerac inspirou-se no escritor, livre pensador e soldado Hercule Savinien de Cyrano de Bergerac, que viveu entre 1619 e 1655, célebre por questionar e satirizar os intelectuais de seu tempo, criando controvérsias em torno de crenças tradicionais e da religião… e conhecido, também, pelo tamanho avantajado do nariz.

Cyrano de Bergerac, a imortal criação de Rostand, é a história do herói romântico, de nobres sentimentos, mas complexado por sua feia figura, que por isso renuncia ao amor da bela Roxane, e ajuda um amigo, Christian, a conquistá-la por meio das palavras, ensinando-lhe poesia, frases de espírito, e até falando por este, escondido na escuridão.

Fonte: Divulgação | Ed. Martin Claret


Procura um drama em que, ao mesmo tempo que haja elementos belos de romance profundo, entrega primorosa dos sentimentos mais íntimos e mostras incondicionais de cavalheirismo com damas; misturado a boas tiradas, ironias e muita babaquice de figurantes? Encontrou nesta obra o que você precisava.

Cyrano de Bergerac traz em si, numa figura rude, intangível e quase grosseira, um sujeito adorável com sua prima, o qual é apaixonado, mas que por desditas naturais, se vê compelido a renunciar o verdadeiro amor em desencontro com sua beleza. Para isso, toma de empréstimo o imprestável – com o perdão do trocadilho – Christian, que nada mais que sua beleza possui. Uma batalha, no entanto, põe este e Roxane, a amada na história, à distância, cujo evoluir dos fatos deixo sugerido à leitura do querido público.

Qual o diferencial?

Não é tão meloso quanto um Romeu e Julieta ou outras tradicionais obras românticas, mas também não é tão rude quanto um jambo helênico. Dosa cautelosamente elementos, cômicos, trágicos e dramáticos como poucos até àquela época fizeram.

Avaliação

Sou suspeito para falar: Cyrano virou meu herói de cabeceira.

EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela



Ouvindo... Derek And The Dominos: Layla

Pequenas Memórias

Outros pequenos fatos


  1. Sima, o amigo da Elô, seu humor e as muitas risadas que damos com ele. Gargalhando
  2. A história da maçã, furada, que sempre insisto em atiçar a turma. Inocente
  3. As quatro Tás numa única classe. Smiley surpresoSmiley mostrando a língua
  4. A voz padrão do Metrô, made by Eleonora and Esther. Smiley piscando
  5. O lanche da SubWay e a ida ao Ibirapuera. Prato
  6. Os pastéis da ECA e as filosofias do Caio. PratoGaroto paquerando

Hum… Esqueci de algo? Acho que não.


Ouvindo... Farruko / Don Omar / Baby Rasta: Te Ire A Buscar (Remix) (R A D I O R E G G A E T O N : Pegajos

As Aventuras de Tom Sawyer

Escrito por Mark Twain


Precursor da literatura autenticamente americana, Mark Twain (pseudônimo de Samuel Langhorne Clemens) não se deixou influenciar pela entonação européia e escreveu no linguajar e na gíria de seu país. Os principais personagens que criou saíram das pessoas simples e rudes do interior, cuja vida, até então, nunca tinha entrado nos livros.

Um de seus livros mais populares e mais lidos no mundo inteiro é As Aventuras de Tom Sawyer (1876). A obra além de ser uma reconstituição da infância do autor é também uma resposta aos livros moralistas e açucarados da época. Tornou-se um clássico da literatura juvenil mundial.

Fonte: Divulgação | Ed. Martin Claret


Numa época – a nossa – em que se desconstroem fábulas cheias de elementos fantasiosos para se descobrir significados ocultos e libidinosos em contos como os dos Irmãos Grimm, ou Lewis Carroll, dentre outros diversos, este de Mark Twain permanece incólume a tantas possibilidades apresentadas para buscar significados ocultos em si. Tal pressuposta beleza em não retratar a infância como algo inflado de carícias do mundo com o ser é quebrado neste livro, que fala de pessoas comuns, em lugares e situações comuns, fazendo atos comuns. As meninas são discretas, os meninos são intransigentes ou são muito aprumados, e os adultos… Bom… Estes são como são: zelosos e dotados de autoridade.

O único elo que liga toda a história do livro é os objetos arrendados por Tom no episódio da cerca, os quais vão aparecendo em histórias soltas que se distribuem em todo o texto, e que auxiliam Tom a atingir seus mais diversos objetivos em cada destas mini-histórias. No entanto, dado um certo momento, as histórias isoladas dão lugar a um acontecimento de maior seriedade e proporção, que passa a integrar os acontecimentos, o qual, de praxe, recomendo a leitura do livro. Isso, claro, sem que Tom e seu amigo próximo, Huck, percam a ingenuidade infantil.

Qual o diferencial?

Quem busca um livro que não verse sobre moral, e se atenha aos fatos tão em si próprios, eis aí o diferencial que este livro oferece. Tom não é julgado como bom ou mau no decorrer da história, apesar de ainda ter a possibilidade de ser um herói num dado momento… E se você quer lembrar das suas peraltices de infância – claro, se você viveu no mais rústico interior, longe da luz elétrica, principalmente – esse é um guia de todas as aspirações da simples infância.

Avaliação

Pessoalmente, a falta de uma unidade narrativa no princípio do livro garantiu uma avaliação baixa:

EstrelaEstrelaEstrela e 1/2



Ouvindo... Baby Rasta & Gringo Ft. Farruco: Lo de Ella Es Fichurear

Momento Poesia

15 e 48 ao sul, 47 e 51 a oeste


A minha desventura,
bela gravura na parede.

Recordar em mim,
seu abraço em ninguém
nenhum amigo confidente
escrevente, orador, discente.

A minha gravura,
bela desventura na parede.

Lembro-me dela,
jovem do Planalto,
semblante, tão bela
voz de contralto.

A minha parede,
bela gravura na desventura.

Que abraços! Que beijos!
Amo ver todo o seu molejo,
bênção dos céus, impávidos
arranha-céus exibem braços.

És minha bela:
a gravura da parede desventurosa.


Ouvindo... Quiero Decirte: Quiero Decirte (RadioActitud.com)

Registros Rápidos

Uma Lista de Fatos que não podem ser esquecidos na trajetória do primeiro semestre


  1. O dia da aula de clássicos, em que conheci a Giovana, e o quebra-gelo mais descarado da minha parte (em outras palavras, o elogio do brinco);
  2. Um certo dia em que conheci a Nathalia, chaveirinho das Letras, e nossa cumplicidade amiga (ou a discussão da maçã);
  3. Como foi que conheci a Elô mesmo?? (segundo a própria, mais um episódio de cara de pau proporcionado por quem vos fala);
  4. A partida de xadrez que mostrou definitivamente que preciso de um Mestre, se eu quiser ser um enxadrista (diga-se, também, o contato maior com o Estevão a partir dessa época);
  5. As filas do bandejão da química e os diversos fatos elucidados nela (as pragas rogadas para meu estômago, o Poeta David, o “Arroz Carborizado”, a cinéfila Mariana, a aquisição de linguagem feita pelo Joaquim,…);
  6. O quarteto-parada-dura de Letras de 2010 (diga-se Estevão, Bruno, Ícarus e eu) e as costumeiras conversas.
  7. A “nona patota” e as idas às barracas da ECA (inclui-se nessa as filosofias confucionistas de Caio).

E outras coisinhas que o tempo e as Musas se encarregarão de me lembrar.


Technorati Marcas: ,,,

Ouvindo... Trebol Clan Ft. Baby Rasta & Gringo: Desnudate