Capítulo Cinquenta e Nove

Novos Rumos e Projetos


Cá estou eu…
Imerso em meus pensamentos.
Contemplando os meus sucessos,
E evitando descontentamentos.

Se tudo der certo, talvez possa me orgulhar da condição de ser um USPeiro.

Tudo necessita de uma ou duas ações enérgicas, muita paciência e mais disposição que dançar Créu [ha, ha].

Uma charge do mapa da Cidade Universitária [Clique para abrir no tamnho original: gigante!]Eu a princípio não chegava imaginar ingressar no FUVEST neste ano que passou, nem ser aprovado para segunda fase, e o mais improvável ainda, obter aprovação para ser chamado em primeira instância, mesmo sem ter respondido a oito ou nove questões de uma das provas.

Isso mostra o quanto estou descrente de mim mesmo.

Agora começa uma nova, e a mais difícil fase do vestibular: arranjar estrutura para sustentar o curso.

Eu, como morador de Ibiúna, até essa manhã, não visualizava solução plausível para garantir condições suficientes para, residindo aqui, deslocar-me até São Paulo, e podendo correr uma improvável situação de abdicar de um trabalho certo [sem falar noutro concurso no qual estou muito otimista…] e correr o risco de não sustentar o curso universitário.

Relógio da USP [Fonte: Universidade Para Quem? | WordPress] Então, ando pensando, após colher várias opiniões a respeito de como deverá ser minha conduta nesses dias: por que cargas d’água não poderia emancipar estudos e trabalho, se o ambiente profissional está flexibilizando horários para que eu possa trabalhar a mesma carga horária e ter tempo suficiente para deslocar-me no percurso estudo-trabalho?

Algo em minha consciência chama isso de medo. Um medo de quebrar a cara se não houver sucesso nesse primeiro período conturbado. Porém, evitando o medo, não estarei arriscando a possibilidade de, por desconhecimento da situação real, usufruir uma condição única por um possível período de tempo?

É claro que, se com um preparo bem reduzido, consegui um desempenho necessário para estar presente entre cerca de quatrocentos convocados; quem não diga se, porventura não venha a aproveitar essa oportunidade de ouro, consiga-a novamente daqui a um ano, preparando-me desde já? Não é possível saber qual foi meu desempenho agora, e posso ainda correr um risco expressivo de ter tido uma das melhores pontuações finais… Seria como queimar o bilhete premiado da mega-sena.

A solução que me foi iluminada por uma colega de trabalho – e fica aqui registrado seu nome, pela lembrança da posteridade, após todo esse período de batalha, como uma forma de agradecimento, que é Sandra Mara – que sugeriu o meu deslocamento residencial para São Roque, mesmo que em forma de aluguel.

Santa possibilidade!

Se levar em conta que a todo lado que comento sobre o que ocorreu comigo, desistir da USP, à esta altura do campeonato, pode ser um péssimo negócio.

E pode ser pior ainda, se, realmente desistindo, descubra posteriormente que eu poderia ter superado todos os pequenos empecilhos.

Que as almas estudantis possam zelar por um gesto solidário de apoio comunitário… Vou precisar delas.

Espero estar falando convosco, comunidade internética, nos próximos dias, com uma resposta positiva acerca de todo esse certame. E dizer, com todas as letras:

Sou USPeiro nato!


Ouvindo... Alexis Y Fido: Soy Igual Que Tu [feat. Toby Love]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s