Momento Poesia

Verminose Literária Roedores suburbanos, Não deglutem queijo, Não destroem rosas, Pedem só teu beijo. Traças de fuligem, Não fulminam papel Alimentam de fel, Desventuras e vertigem. Animais incompreendidos, Sortilégios, sofrimentos, Sentimentos conduzidos, Nos versos em tormento. São os devoradores de Letras, Artistas, artesãos de fonte, Cunham títulos aos montes, Em Heptassílabos, Hexa, Tetras… Que enfermidade,Continuar lendo “Momento Poesia”

CAOS

Comportamentos Aceitacionais Obsessivos Numa era em que construímos nossas relações à distância, afinidades, disparidades, ou uma simples questão de estatística constituem nossa rede de “amizades”. Basta olharmos os twitters e orkuts de nossa nação tupiniquim, em especial os de jovens com até dezesseis ou dezessete anos, em diversas localidades do nosso país, que estudam emContinuar lendo “CAOS”

Capítulo Cinquenta e Nove

Novos Rumos e Projetos Cá estou eu… Imerso em meus pensamentos. Contemplando os meus sucessos, E evitando descontentamentos. Se tudo der certo, talvez possa me orgulhar da condição de ser um USPeiro. Tudo necessita de uma ou duas ações enérgicas, muita paciência e mais disposição que dançar Créu [ha, ha]. Eu a princípio não chegavaContinuar lendo “Capítulo Cinquenta e Nove”