Momento Poesia

Intenção Mascarada Qu’é isso, coração enfurecido, Seu carinho despercebido, A ocasião feita pela falta, Voz de fúria contralta? Perdida a confiança Por um ato impensado, Fiz de ti minha cofessa Bragança, A decepção como modo consumado. Quero saber de ti, safira compulsiva, Diga o que você quer de mim: Roubar minhas alegrias, Meu campo deContinuar lendo “Momento Poesia”

Iracema / Cinco Minutos

Por José de Alencar Machado de Assis referindo-se à Iracema, de José de Alencar, disse: “… espera-se dele outros poemas em prosa. Poema lhe chamamos a este, sem curar de saber se é antes uma lenda, se um romance: o futuro chamar-lhe-á obra-prima.” Iracema é a expressão máxima do nosso nativismo romântico. Tendo como panoContinuar lendo “Iracema / Cinco Minutos”

Por que Nietzsche?

Grosseria Paranóica ou Realidade Concisa? Toda vez que nos deparamos com a filosofia romântica de Nietzsche, nos perguntamos: que há nela de tão sedutora, apesar de aparentar tanto repúdio, em nós, pessoas sofríveis com aspectos diversos da vida? Será o filósofo alemão uma espécie de confessionário de nossas expectativas humanísticas? Por que será que, quantoContinuar lendo “Por que Nietzsche?”

Farsa de Inês Pereira / Auto da Barca do Inferno / Auto da Alma

Por Gil Vicente Representante maior da literatura renascentista de Portugal antes de Camões, Gil Vicente realizou uma síntese original das tradições medievais do teatro. Retomou os milagres e mistérios com consciência moral renovadora própria do Renascimento, que em suas comédias revela-se na expressão satírica, de humor saboroso e popular. Sua irreverência mordaz tem por objetoContinuar lendo “Farsa de Inês Pereira / Auto da Barca do Inferno / Auto da Alma”

Reflexões do Nosso Cotidiano

Amizade: um artigo de nobre luxo? Ou um pobre pretexto para barganhas? Viver de acordo com as diretrizes da sociedade exige que você disponha de certas concessões em sua vida para obter algumas regalias. Diga-se disso nossos jovens que deixam os visuais pouco ortodoxos de liberdade que calças rasgadas e cabelos ouriçados ou tingidos, camisasContinuar lendo “Reflexões do Nosso Cotidiano”