Momento Poesia

Expediente


Galo da madrugada, soando intermitente
Copo de café, nada de aguardente
O pão com manteiga, potinho de alumínio
A reserva de almoço já nas mãos

Mãos que calejam, sob sol e chuva
Atividade mental, labor de suplício
Denso, leve, dentro de projeções
Condições de contraprestaçãoHora de trabalho

Quatrocentos e oitenta minutos, todo dia
Ou vinte e oito mil e oitocentos segundos
Tempos iguais a todos, em uns, alegria
Em outros, paciência disposta na porta dos fundos

Mas, diga-se de passagem
O ônibus lotado: que viagem!
Mas convenhamos a facilitação:
Sexta-feira, nesta semana, tem feriadão.


PensativoNota Logo, logo, os problemas se resolvem…

Publicado por Potingatu

Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa (2010-7), FFLCH / FEUSP. Aspirante-a-mestre-acadêmico não-qualificado em Filología e Estudos do Discurso em L. P. (idem, 2017-8). Pesquisador juramentado diante do MCTI de Marcos Pontes e com préstimos ao 🇧🇷. Sigamos!

%d blogueiros gostam disto: