Radar Musical: Trinta e Dois

Elton John - Greatest Hits '70 '02 Elton John

Greatest Hits 1970 – 2002

[Mercury/Rocket/Universal, coletânea dupla]


Pois bem, querida comunidade internética. Falamos agora do ano de 2005. Janeiro, e a irresistível "oferta" de adquirir essa dupla coletânea, visto o gosto que os professores de eletrotécnica do SENAI estavam sugerindo a mim, fiz-me abdicar de poupar dinheiro e investir pesado neste em questão.

Até lembro muito bem da ocasião – e todos os álbuns daqui para frente possuem uma história mais pessoal a se contar – que ao me dirigir para minha sempre querida escola de Ensino Médio, próxima da ponte da Catenária, reencontro uma amiga que também ali ía para recolher, assim como eu, seu histórico escolar para prosseguir no Ensino Superior.

Não tão logo chego em casa, a disposição para auditar o álbum era imensa, que mal esperava que a chuva que quase me surpreendera na chegada terminasse. Para bem ouvir este duplo, e de quebra mais uma aquisição, que por fim foi render em duas – sobre isso, vide as duas próximas resenhas musicais.

Mas em questões financeiras, a coletânea em questão fez valer sem hesitação todos os centavos nela empreendidos.

Setlist

Primeiro CD

  1. Your Song: a suavidade dos primórdios de carreira, o piano, os arranjos típicos de uma música pop
  2. Tiny Dancer: o orquestral faz-se valer de uma canção alegremente melancólica.
  3. Honky Cat: o clima de joguete infantil é o maior barato!
  4. Rocket Man (I Think It’s Going To Be A Long, Long Time): uma vaga lembrança de Space Oddity, do David Bowie… Não acham?
  5. Crocodile Rock: um rock a la piano animado. Mas as apresentações ao vivo desta são mais animadas.
  6. Daniel: balada melancólica. Daquelas que todo mundo depois pensa em gravar.
  7. Saturday Night’s Alright For Fighting: agora, sim! Vemos rock animado de verdade!
  8. Goodbye Yellow Brick Road: a atmosfera melancólica é uma constante nas canções de Elton.
  9. Candle In The Wind: apesar de não parecer, é uma das versões mais alegres e bonitas dessa canção – ouça a de 1997 para saber do que falamos.
  10. Faixa de destaque Bennie And The Jets: uma versão ao vivo – envolvente, instigante, completa para levantar a moral em um show.
  11. Don’t Let The Sun Go Down On Me: o clima de uma canção dor-de-cotovelo, sempre crescente e pomposo, é notável de longe nessa faixa.
  12. The Bitch Is Back: mais uma daquelas canções alegres – porém sacanas – para quebrar o gelo.
  13. Philadelphia Freedom: em uma simples expressão – pra levantar a moral e o astral; uma canção upbeat.
  14. Someone Saved My Life Tonight: retomando o clima dos pianos e das canções românticas, mas sem perder a qualidade do todo, com toda a sua grandiosidade.
  15. Island Girl: um clima instrumental diferenciado. Uma canção própria para dias ensolarados.
  16. Don’t Go Breaking My Heart (With Kiki Dee): quer uma canção para figurar entre as dez mais animadas de todos os tempos? Por que então não inclui essa?
  17. Sorry Seems To Be The Hardest Word: uma canção gelada, demasiado melancólica, que encerra a metade da peregrinação pelos sucessos de Elton.

Segundo CD

  1. Blue Eyes: até aqui, uma das canções mais "padrão" de todo o conjunto. Não que seja ruim, mas o artista já demonstrou coisas mais completas.
  2. I’m Still Standing: os teclados conferem um clima praieiro para a canção [também, para quem viu o clipe].
  3. I Guess That’s Why They Call It The Blues: a evolução musical é evidente, mesmo com elementos já conhecidos como uma leve percussão e piano.
  4. Sad Songs (Say So Much): apesar do lírico e do título dizerem o contrário, a canção não é tão dor-de-cotovelo e melancólica assim…
  5. Nikita: a suavidade de uma canção que traz à tona – em um clipe – uma história de amor platônico [eu acho].
  6. Sacrifice: a canção com uma atmosfera alienígena – familiar [coisas pessoais] e uma história contada com bastante feelin’.
  7. Faixa de destaque The One: a canção apoteótica, grandiosa em todas as suas nuances; um lírico incrivelmente romântico – combinação perfeita.
  8. Kiss The Bride: animada, mas não chega aos padrões corriqueiros do Elton como pudemos ver em eras passadas.
  9. Can You Feel The Love Tonight?: combina bem com o filme ao qual foi pertencer.
  10. Circle Of Life: grandiosa, linda e completa. E ainda versando sobre a vida! Nada mais animador.
  11. Believe: cadência fixa. Instrumental bem dosado. Combinação sóbria, porém agradável.
  12. Made In England: tendências modernas do pop.
  13. Something About The Way You Look Tonight: novamente mais uma das classicidades ao molde das antigas.
  14. Written In The Stars (With LeAnn Rimes): um belo dueto. Emocionante, suave.
  15. I Want Love: chegamos aos tempos mais presentes – a maturidade vocal e musical, sem perder no entanto as características do passado.
  16. This Train Don’t Stop There Anymore: uma balada pop dos tempos recentes – realmente, Elton John jamais perde a sua forma.
  17. Song For Guy: um longo solo de piano e algumas palavras – receita rebuscada de anos anteriores para encerrar a longa empreitada.

Prima pela Qualidade

Apesar de serem dois CDs bem preenchidos em tempo, a seleção é impecável, respeitando praticamente a cronologia da obra.

starstarstarstar e 1/2


Technorati Marcas: ,

Ouvindo... Elton John: Honky Cat

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s