Radar Musical: Trinta e Um

Deep Purple - Fireball Deep Purple

Fireball [25th Anniversary Edition]

[Harvest/EMI, Estúdio]


Agora, retomando com toda a certeza a ordem das aquisições, vejo-me em um divisor de águas, do qual este álbum faz parte. A ocasião: última semana de atividades dos longos onze anos escolares. O dia da compra: uma chuva tenebrosa ameaçando cair sobre a cidade. As atividades a serem feitas: oficinas de arte diversas – pinturas, música, dança [certeza? Bom, eu escolhi pintura]. Enfim, dias que pude me lembrar com propriedade.

Lembrar-me dos velhos colegas, ali pesentes aquele ano… Relações de amor e ódio. Quem vai entender?

O álbum, em si próprio, constitui um material comemorativo. As bandas de Hard Rock sempre chamaram a minha atenção, e até hoje, eles são uma das minhas audições preferidas.

Setlist

  1. Fireball: a levada Blues, típica de um Hard Rock – nada melhor pra começar…
  2. No No No: os contrapesos entre os arranjos misteriosos, os teclados e a cadência ritmada do refrão. Mas a disposição de duração torna o trabalho maçante.
  3. Demon’s Eye: apesar da "leveza" do instrumental, a letra traz obscuridades nítidas…
  4. Anyone’s Daughter: alguém sentiu uma tendência para o country ou só eu?
  5. The Mule: o padrão do Hard Rock estava se perdendo… Esta canção veio para recuperá-lo, com direito a ousadias instrumentais.
  6. Fools: agora o vocal adquire propriedade de uma canção de peso.
  7. No One Came: instrumental e vocal parecem fazer ganhar a levada de peso que o álbum finalmente procurava ter.
  8. Faixa de destaque Strange Kind Of Woman [Remix ’96]: irresistível!
  9. I’m Alone [B-Side]: uma retomada ao clima dos teclados no melhor estilo Hush.
  10. Freedom [Out-Take]: um prenúncio do futuro não muito distante das canções que virão em outros álbuns. Por que cargas d’água não foi incluída no original?
  11. Slow Train [Out-Take]: seguindo a tendência dos instrumentais pesados e abuso dos teclados, puxados ao Blues.
  12. Demon’s Eye [Remix ’96]: a mesma canção da 3ª, sem muitas mudanças – talvez a extensão de um solo.
  13. The Noise Abatement Society Tapes: Midnight In Moscow / Robin Hood / William Tell
    Capacidade comprovada em fazer releituras de composições clássicas na guitarra e nos teclados.
  14. Fireball [Take 1, instrumental]: a mesma que a 1ª, sem a voz e com a diferença de um ou outro elemento.
  15. Backwards Piano: solos de piano distorcidos.
  16. No One Came [Remix ’96]: idêntica a 7ª. Por favor, alguém pode dizer qual é a diferença nessa versão remasterizada?

Instigante e Completo

Para um álbum de Hard Rock, este compreende um justo diferencial.

starstarstarstar


Technorati Marcas: ,,

Ouvindo... Deep Purple: Freedom [Out-Take]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s