Radar Musical: Vinte e Sete

Frank Zappa - Lumpy Gravy Frank Zappa

Lumpy Gravy

[Ryko, estúdio]


Este também foi mais um daqueles álbuns classificados na categoria curiosidade a se adquirir. Num mercado em que há falta de muitas bandas e artistas, ver um álbum destes, sem dúvida incita a vontade de conhecê-lo mais. Mesmo sem ter qualquer referência sobre tal.

Bom, levando-se considerações à parte, o álbum constituiu uma jogada de risco ou talvez até uma bola fora no quesito musical, segundo os moldes clássicos. Mas o humor inscrito nele faz valer um pouco o alto investimento em duas faixas apenas, com duração de quinze minutos cada.

Quanto ao período de aquisição, ainda me encontrava na época de terceiro semestre no SENAI. Trabalhos efeverscendo para todo lado, ali e na escola regular. Um emprego ocupando o período, já com pouca expectativa de crescimento de minha parte e iniciativa. Mas, creio eu, nessa época, iria delimitar os meus rumos futuros no ano de 2005. O qual colocou toda minha vida ao avesso – e que oportunamente será descrito aqui futuramente.

E, quanto a este de Frank Vincent Zappa, vai um aviso de cocheira: se você não gosta de experimentalismos, favor não comprar o álbum, e veremos a seguir o porquê.

Setlist

  1. Lumpy Gravy Part One: The Way I See It, Barry / Duodenum / Oh No / Bit Of Nostalgia / It’s From Kansas / Bored Out 90 Over / Almost Chinese / Switching Girls / Oh No Again / At The Gas Station / Another Pickup / I Don’t Know If I Can Go Through This Again
    Começa bem musical, mas uma conversa entre duas mulheres e um diálogo quase inaudível fazem uma queda na vibe, recaindo em sons experimentais e em algumas repetições. Apesar do aparente ganho da música, os discursos voltam novamente, pequenos sons ganham espaço, novamente dando lugar a orquestrações pouco ortodoxas, que ameaçam crescer, mas nunca o conseguem.
  2. Lumpy Gravy Part Two: Very Distraughtening / White Ugliness / Amen / Just One More Time / A Vicious Circle / King Kong / Drums Are Too Noisy / Kangaroos / Envelops The Bath Tub / Sessão de destaque Take Your Clothes Off
    Muita conversa e sons pouco musicais por longos quatro minutos, batucadas e orquestrações psicodélicas contrabalanceando mais discursos e sons soltos. Há um momento em que verídicos arranjos musicais aparecem aos oito minutos, e daí predominam até o grand finale, que infelizmente, poderia se estender por mais alguns minutos.

E então?

Média, mas o final compensa.

starstarstar e 1/2



Ouvindo... Frank Zappa: Lumpy Gravy (I)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s