Radar Musical: Quatorze

Beatles - Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band Beatles

Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band

[EMI/Parlophone, estúdio]


 

Muito tempo antes de sonhar com este valioso arquivo vivo musical de quarenta e seis álbuns, falava-se tanto no álbum supra-citado. Via reportagens diversas fazendo referências a este menino-prodígio, cujo suspeito passado lúcido se concerne ante ao aceitável no mundo da música. Bom… Isso é o que diziam deste álbum aqui descrito. Sim, e daí?

Curiosidade satisfeita, resta então a nós dizer o que este álbum tem como divisor de águas, seja para o Fab Four, seja para a música em geral. A princípio, fala-se na superação musical sobre os Beach Boys – aqueles garotos praieiros – e, sim, sem dúvidas a maturidade musical dos Beatles é evidente, assim como a inventalidade.

Há quem diga que Pepper’s… seja o estopim do movimento progressivo, e talvez estejam certos por uma ou outra canção. Mas ainda há o latente passado de Beatles em muito do álbum.

Novidade? Até aqui não.

Bom… E o psicodelismo? Há sim uns lances meio escabrosos no álbum de pirar o cabeção, mas já houveram outras bandas que superassem essa expectativa em um álbum inteiro. Eles não vieram a fazer isso. Tomorrow Never Knows, do álbum anterior, só tem apelo igualmente alcançável por uma canção solta de George Harrison.

Falamos do álbum. Agora falemos da situação de compra. Era um daqueles dias em que passeava pela bela Cidade da Catenária. E era um álbum caro, numa loja tradicional. Investimento de risco? É certo, mas ainda por cima, fiz a vez de adquirir uma relativa pechincha que chamava a atenção, principalmente, pela sua capa. Poderia falar de ambos os álbuns, mas fiquemos a separá-los pela ordem.

Mas, situações a parte deste que vos falo, o mais divertido é identificar quantos rostos há pelo álbum todo. A menos que alguém diga a você, após riscar seu valioso encarte, quantos rostos se tem ali, você dificilmente consegue contá-los sem contar por mais de uma vez um mesmo. E os detalhes! O colorido…

Setlist

  1. Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band: uma boa brincadeira para se começar o álbum.
  2. With A Little Help From My Friends: na certeza, a canção mais linda no conjunto.
  3. Lucy In The Sky With Diamonds: a canção nada-com-nada que causa é um dos mais notáveis princípios da piração.
  4. Faixa de destaque Getting Better: uma das melhores canções para cima que pude ouvir em minha existência, senão a melhor. E ainda tem um apelo psicodélico muito sensacional.
  5. Fixing A Hole: dá vontade de viver no passado…
  6. She’s Leaving Home: para quem diz que Beatles não sabem fazer música barroca clássica, taí a contra-prova.
  7. Being For The Benefit Of Mr. Kite: comparações à parte, o progressivismo-psicodélico desta música é sensacional. Por acaso foi daqui que surgiu A Passion Play do Jethro Tull?
  8. Within You Without You: se você tem alergia a psicodelismo oriental, essa música é a mosca que pousou em sua sopa.
  9. When I’m Sixty Four: Beatles também sabem fazer historinhas de criança…
  10. Lovely Rita: dá vontade de viver no passado II – a missão…
  11. Good Morning Good Morning: notável referência aos tempos de yeah yeah yeah!
  12. Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (Reprise): a mesma brincadeira, com mais energia musical.
  13. A Day In The Life: E para encerrar, o oráculo do futuro dos Beatles tardios com bastante experimentalismo.

Uma Lenda Sempre Viva?

Fica a critério de cada um.

starstarstarstar e 1/2


 

 


 

Ouvindo... Beatles: With a Little Help from My Friends

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s