Capítulo Cinquenta e Cinco

Ata Número Três

lightbulb Parte integrante do projeto 27L blog-papel


envelope Osasco, quinta-feira, 1 de março de 2007

Novamente à mesa… Folhas de caderno sendo repassadas, pensamentos voltados às exatidões e às aproximações, mas nunca para as estimativas empíricas: assim são as mesas de matemática.

[Deja Vu… Acho que já vi isso antes.]

Calcular a gradiente da função dualmente variável, uma equação de uma circunferência ou uma elipse, a descoberta de um vetor-motriz… Cada coisa interessantemente cabeluda.

Mas hoje nota-se, numa mesa ao ar livre da faculdade a serietude do assunto: o papo fica restrito à linguagem codificada das expressões, igualdades, derivações e integrações que só a Matemática pode permitir a fazer a mágica necessária para mover visualmente esta a um resultado satisfatório.

No entanto, sempre surge umas punk girls para guinar ânimo à mesa. E então alguém espertamente banca o papel de vigilante do método, com um discurso muito retórico e com pouca base na dialética [que saudades da dialetical professora Marcinha].

E nada a ver, mas do lado da mesa passa um pombinho… Talvez ele queira comer alguma pipoca!


Ouvindo... The Commitments: Mustang Sally

Com este artigo, chegamos aos tempos presentes do Vigésima Sétima Letra em papel.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s