Radar Musical: Dez

Jethro Tull - Catfish RisingJethro Tull

Catfish Rising

[EMI/Chrysalis, estúdio]


E, mais uma vez, a exemplo do Pearl Jam, resolvo fazer um bis do Jethro Tull. Por que será? Certo é que a flauta diferencial de Ian Anderson tem um místico encanto.

Digo isso porque este álbum, em especial, personificou-se numa grande amiga dos tempos últimos de escola. Já o possuindo, pude compartilhar com ela todo o potencial deste. Ela amou o tal. Muito mais que o The Essential

E, desde que me empenho em ouvir tal maravilha musicada, lembro desta minha amiga. Hoje só atingível pelas mensagens de internet. São os tempos modernos combinando com canções antigas…

Setlist

  1. This Is Not Love: uma prova que hard rock combina com progressivo.
  2. Occasional Demons: a voz da experiência ocasiona, na verdade, uma irônica, mas marcante canção.
  3. Roll Yer Own: as cordas aqui fazem muito efeito. E aquilo do final? É proposital?
  4. Rocks On The Road: os acordes sobre acordes denotam um bom início. O clima da canção, uma ótima sustentação.
  5. Sparrow On The Schoolyard Wall: finalmente em voga o Jethro Tull de sopro que conhecemos.
  6. Thinking Round Corners: as cordais estão ficando mais orientais… Mas só as cordas.
  7. Still Loving You Tonight: está sentindo o álbum ficar uma espécie de bossa inglesa? Até a voz parece distanciar-se do rock. Mas, ainda assim, garantindo um som maravilhoso.
  8. Doctor To My Disease: oh! Mas quem vemos novamente! O velho rock de volta fazendo balanço!
  9. Like A Tall Thin Girl: instigante canção, por lembrar Fat Man do meu outro álbum deles.
  10. Faixa de destaque White Innocence: hora daquela canção linda, que serviria até de tema de novela, tamanha a sua suavidade.
  11. Sleeping With The Dog: mistério em forma de música. Boa sacada.
  12. Gold-Tipped Boots, Black Jacket And Tie: para cada álbum existe uma faixa que é a sonorização de sua imagem de capa. Esta é uma delas.
  13. When Jesus Came To Play: e, para finalizar em grande estilo, mais uma toada acústica, com o mesmo toque de Jethro Tull de sempre.

Místico, necessariamente?

Latente a magia progressiva britânica.

starstarstarstarstar

 


Technorati Marcas: ,

 


Ouvindo... Jethro Tull: Like A Tall Thin Girl

 

 

 

 

 

 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s