Radar Musical: Nove

Chuck Berry - Golden HitsChuck Berry

Golden Hits

[Mercury/Universal, coletânea]


Agora estava na hora de procurar uma liquidação. Agora falamos em plena época escolar. Os trabalhos acumulando novamente, não por mau merecimento, mas pelo jeito brasileiro de adiar tudo para o último momento. Interessa a nós saber que, agora, podia pôr em prática todas aquelas aquisições que se via em lojinhas de música.

E eu, assim como um personagem do meu ensaio dois do 35º Fonema [embora aqui não seja o momento de citá-lo, mas o faço como um rápido comparativo] como sempre desejo ir até a raiz da questão, fui buscar os primórdios do rock, e nada melhor que a aquisição supra-citada.

Chuck Berry não surpreenderia pelo seu incontestável passado. Mas pensemos no Rock ‘n Roll daqueles áureos tempos: despretensioso, alegre, mais essencial. Mais raiz, mais original, melhor identificável… Quer mais? Desde já digo, esta é uma aquisição-chave para quem deseja enveredar por este grandioso mundo.

Setlist

  1. Sweet Little Sixteen: observe como uma base trabalha para um bom rock dançante. E como o piano complementa.
  2. Memphis: a versão original é ainda mais melindrosa, mas esta é mais adulta e madura.
  3. School Days: agora é a vez de prestar atenção na percussão e nos primórdios do riff das guitarras.
  4. Maybelline: quem sabe, foram nos terrenos do jogral ligeiro dos vocais dessa canção que não surgiram as improvisações na cultura rap?
  5. Back In the U.S.A.: todo mundo irá reconhecer essa entradinha, logo, logo.
  6. Around And Around: excelente convite à dança.
  7. Brown Eyed Handsome Man: suavizar? Pra quê? Isso aqui já tá suave demais…
  8. Johnny B. Goode: lembra da entradinha? Não! Ah… Então você não conhece música de verdade. Clássico da idade da pedra.
  9. Faixa de destaque Rock And Roll Music: o que confere um diferencial nesta, com certeza é o sopro.
  10. Roll Over Beethoven: outro modo de explorar a clássica entrada do rock clássico, mais as brincadeiras sacanas das músicas da época.
  11. Thirty Days: outra das boas e desinibidas brincadeiras da época.
  12. Carol: isso é uma canção de amor? Ou é um pedido descarado? E daí: pr’aquela época isso importava?
  13. Let It Rock: talvez tudo isso esteja ficando monótono, mas você precisa ter o ouvido clínico cinquentista pra entender.
  14. Reelin’ And Rockin’: o encaixe entre as pausas instrumentais e o vocal confere o clima mais zen de toda a compilação.
  15. Club Nitty Gritty: garantidamente, a música com mais pegada sonora finaliza o álbum em grande estilo… Mas já???

Raiz?

Coooom certeza. Pena que em tempo o álbum é muito raso. Mais que isso, só R&B e country distintamente. Menos o meio ponto de coletânea…

starstarstarstar

 


Technorati Marcas: ,

 


Ouvindo... Chuck Berry: Rock And Roll Music

 

 

 

 

 

Publicado por Potingatu

Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa (2010-7), FFLCH / FEUSP. Aspirante-a-mestre-acadêmico não-qualificado em Filología e Estudos do Discurso em L. P. (idem, 2017-8). Pesquisador juramentado diante do MCTI de Marcos Pontes e com préstimos ao 🇧🇷. Sigamos!

%d blogueiros gostam disto: