Radar Musical: Sete

Soundgarden - A-SidesSoundgarden

A-Sides

[A&M Records, coletânea]


Já percebeu que quando você sente seu dinheiro sobrando, você começa a gastar demais o seu precioso? Pois é, a esta altura, começava a ter intervalos maiores entre as aquisições. Mas praticamente todas foram valiosas.

E essa do Soundgarden então. Não esqueço a ocasião das férias invernais em que fui adquirir algumas roupas, itens e, por que não, este álbum do Soundgarden, o qual só conhecia até então a famigerada.

E lembro-me e muito bem dos calçados que havia adquirido em ocasião. Como eram bonitos. Camurça de primeira, cor de barro… Que isso tem a ver com o Soundgarden? Nada, foi só por lembrar da ocasião mesmo, assim como da copa sul-americana das nações, em que o Brasil decepou a Argentina. Isso ainda naqueles tempos cuprum-estânicos de Campesina…

Setlist

  1. Nothing to Say: quer conhecer os primórdios do grunge? Aqui é um bom começo.
  2. Flower: apoteótica à moda punk.
  3. Loud Love: o amor é gritante. E a música também em sua essência.
  4. Hands All Over: o início dá uma impressão de grande música. O resto mostra a aflição personificada.
  5. Get On The Snake: uma alegria massificante torna esta uma obra que faz a média no conjunto, mas sem perder a essência da qualidade do todo.
  6. Jesus Christ Pose: todo o guincho das guitarras tornam a música tão áspera quanto o seu conteúdo.
  7. Outshined: agora o peso é bem rifado. E a canção, um ode a um sentimento inexplicável de êxtase.
  8. Rusty Cage: e o peso se torna denso…
  9. Spoonman: maturidade vindo à tona na lição de fazer a combinação do pesado, mais o alternativo.
  10. Faixa de destaque The Day I Tried to Live: aqui começa um sentimento misto e estranho de alegria e tristeza aflitosa que vão perdurando nos abraços da canção…
  11. Black Hole Sun: que continuam nesta cártase que se auto-explica.
  12. Fell On Black Days: depois de tanta expurgação de males, nada como um quebra-gelo…
  13. Pretty Noose: e um esquenta-nervos para repesar tudo de novo.
  14. Burden In My Hand: não é uma candidata a um acústico?
  15. Blow Up the Outside World: bonita pelo seu peso dramático.
  16. Ty Cobb: boa influência direta do punk.
  17. Bleed Together: enfim… Uma banda por muito animada no que faz.

Profundamente envolvente

Perfeito. Mas tem aquele velho desconto…

starstarstarstar e 1/2

 


Technorati Marcas: ,,

 


Ouvindo... Soundgarden: Hands All Over

 

 

 

 

 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s