Radar Musical: Cinco

Jethro Tull - The EssentialJethro Tull

The Essential

[Chrysalis/EMI, Coletânea republicada]


Essa aqui marcou o fim de um período muito conturbado, do qual já foi dito anteriormente. Últimas semanas do semestre nas duas escolas, partindo de casa no belo início de noite e comprando lanchinhos para comer no caminho, amizade com pessoas realmente incríveis em minha querida Campesina… Parece que o período de entresafra seria finalmente mais compensador. Só sair a trabalho, e cuidar das coisas às quais ter que cuidar. Assim foi o ambiente em que essa nova coletânea veio.

Sempre me interessei por rock progressivo, ainda mais conhecer coisas fora da esfera de Pink Floyd, mas o quê? E lembrava das minhas antigas pesquisas… E lembrei-me também: "devo conhecer aqueles caras do Aqualung… Que mais eles podem oferecer de bom?"

E a minha surpresa em saber que o Jethro Tull tem nas suas outras [pelo menos as que estão vigorando nessa coletânea, que ouvi na época] um instrumento clássico nas mãos de Ian: a flauta!

E todo um bonito trabalho será comentado agora!

Setlist

  1. Teacher: para quem fica esperando a "A", esta surpreende.
  2. Aqualung: precisa dizer algo sobre o riff? E sobre o resto? Calamitosamente confortante.
  3. Thick As A Brick (Edit #1): pronto! Agora vamos conhecer outras coisas? Essa é um bom começo. Mas só um bom começo… A completa é longa e gostosa de ouvir.
  4. Bungle In The Jungle: para os dias coloridos da primavera.
  5. Locomotive Breath: quem sabe se este foi um bom terreno para o início de bandas como Uriah Heep?
  6. Fat Man: que cordas maravilhosas!
  7. Living In The Past: simplesmente um sopro de deliciosa de ouvir.
  8. A Passion Play (Edit #8): uau! Outro universo na música! Os sintetizadores tornam desta uma experiência bastante emocionante.
  9. Skating Away (On The Thin Ice Of The New Day): um nome comprido esconde um lindo acústico e um vocal admirável com xilofones e outros instrumentos pouco convencionais.
  10. Faixa em destaque Rainbow Blues: a pegada mais hard rock misturada à beleza musical própria do Jethro Tull garante uma harmoniosa melodia.
  11. Nothing Is Easy: mais uma vez a flauta faz a sua deixa, e no melhor estilo Rock’n’Roll, o álbum termina com um registro da patota de Ian na faixa, um a um por vez.

Soprando…

Eu já disse que todo o conjunto é bonito? Sim, disse, mas tem aquele meio ponto de desconto por ser coletânea.

starstarstarstar e 1/2


Technorati Marcas:

 


 

Ouvindo... Jethro Tull: Thick As A Brick Edit #1

 

 

 

 

 

 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s