Radar Musical: Quatro

The Doors - Unofficial CompilationThe Doors

[Ouver Ent./Memo Music, coletânea não-oficial]


Agora, após um hiato de alguns meses, já me encontrava em atividade remunerada. A partir de então, mesmo com muitos reveses por uma carga horária por demais estendida, encontro nos CDs minha paixão pela música novamente. E este é o inaugural de pouco mais de trinta que adquiri com dinheiro suado.

Pensando em qual iria fazer meu primeiro investimento, optei por algo que não fosse de muito risco. Eis então minha primeira coletânea. E de uma banda considerada, simplesmente, genial.

Não bastasse estar sem rádio, encontro-me sem monitor. Mas nada que um pouco de conhecimento de computação ajude-me a fazer tocar a criança sem a necessidade de ver o que fazia.

O álbum embalou momentos críticos de trabalhos infindáveis de escola técnica. Não fosse o dito cujo, nem imaginaria como manter-me firme frente a uma rotina desgastante.

Setlist

  1. Light My Fire: talvez tenha sido má escolha deixar tão boa coisa logo no início. Mas quem fez, fez, e agora, não há solução… Talvez o álbum fique todo no comparativo a esta.
  2. Riders on the Storm: isto é soft jazz? Isto é blues? Não sei, mas isso é ótimo.
  3. People Are Strange: para animar. Ainda esta fazendo altura ao conjunto.
  4. The Wasp: é um destaque até o presente momento, mesmo não sendo conhecida. Poesia às eventualidades…
  5. Break On Through: invariavelmente… Tornou-se minha trilha sonora irônica momentos mais adiante, mas o teclado aqui é show. Vale a pena ser essa trilha.
  6. Roadhouse Blues: que gaita! E o feeling, então?
  7. Moonlight Drive: boa música. Guitarra melhor ainda.
  8. L. A. Woman: divertida, despojada, envolvente. E o "Mr. Mojo Rising"?
  9. Faixa de destaque The End: o início já dá mostra de "o fim" como um dos momentos mais épicos no álbum. Boa para expurgar os males.
  10. The Unknow Soldier: é uma música feliz, mas ao que parece, a anterior possa ter ofuscado seu brilho. E quem sabe a das seguintes…
  11. Hello I Love You: mais um bom momento feliz.
  12. My Wild Love: que força! Só nas palmas e no vocal inconfundível do homem…
  13. Summer’s Almost Gone: talvez a escolha menos ptente em todo o conjunto, não causa arrepios quanto tudo o que veio antes.
  14. Five to One: pra encerrar, essa boa pedida que lembra uma saideira. A começar [terminar] pela voz trêbeda do Morrisson…

Sentiu a poesia?

smile_teeth Ah, com certeza eu senti. Difícil escolher a melhor destacada. Mas demos desconto que isso aqui é uma coletânea. Digamos, meio ponto…

starstarstarstar


Technorati Marcas: ,,

Ouvindo... Doors: The End

 

 

 

 

 

Publicado por Potingatu

Estudante de Língua Portuguesa e Linguística pela FFLCH - USP (2010-5), entusiasta e experimentador do máximo de artes que for possível.

%d blogueiros gostam disto: