Radar Musical: Um

Pearl Jam - TenPearl Jam

Ten

[Epic, estúdio]


O meu primeiro álbum de rock, e que pude chamar de meu, não foi um simples álbum… Naquela época [e até hoje], Pearl Jam havia se tornado uma das minhas bandas preferidas. Saber que o Pearl Jam foi uma banda de peso no Grunge contou também para que esta caísse bem no conceito.

Definida uma banda por começar, faltava agora saber por qual álbum… E eu não era assalariado o suficiente para adquirir qualquer CD. Até mesmo pirata! Foi então que veio a troca de uma coleção de cifras, mas alguns continhos, pela pechincha ofertada por um grande amigo dos tempos argênteos de Campesina [valeu mesmo, Dex]. E como era gostoso poder colocar um CD no rádio e deixar tocar… Ótimos tempos… Não tínhamos tantas MP3 pára nos distanciar dos nossos álbuns favoritos. Lógico, este é o meu primeiro.

E a história do álbum fala por si. Fiquei feliz em saber que quatro músicas que conhecia na época estavam ali. E uma das quais me deixavam mais a modo de emo’.

Setlist

  1. Once: o bom início traz boas expectativas para todo o álbum. Nota na experimentação inicial, vamos lembrá-la mais para a frente.
  2. Even Flow: a pegada rap garante todo o movimento com o espírito hard rock e alternativo.
  3. Alive: quem disse que as jams extensas desanimam?
  4. Why Go: por que ir? Alguns sentiriam o feeling diminuir aqui, mas esperem…
  5. Black: aqui todo o sentimento melancólico desabrocha. A música-chave para atingir os insensíveis. Definição de balada.
  6. Jeremy: poeta concreto da pós-modernidade? Essa aqui justifica o título a Eddie Vedder.
  7. Oceans: recomendada para dar novo fôlego para o que virá. Afinal, será a longa caminhada agora.
  8. Porch: já começa dizendo que bagaça de mundo é essa! E vai enervando, pedindo abraço, suavizando, mostrando que o Grunge é alternativo e pesado ao mesmo tempo.
  9. Garden: quer uma canção que expurga os males? Eis aqui a solução.
  10. Deep: outra nervosa. E que deve ser bem aproveitada pelo recurso do som estéreo, principalmente nos solos e no finalzinho.
  11. Faixa de Destaque Release: estamos chegando ao fim? Pena, mas um fim tem que vir. Esse aqui, muito forte, dá conta do recado. E quando pensamos que acabou, que nada… Lembra de reservarmos lá o início do álbum? Ele volta, dando o que falar (Master/Slave).

Por fim, dizer que

O álbum é um bom início justo para se aventurar no rock. Quem conseguir uma pechincha assim, é gente de sorte.

starstarstarstarstar

 


Technorati Marcas: ,,

 


Para a construção dessa subseção, a trilha sonora se dispõe do álbum em questão tocando, sendo que após a última música tocada, é selecionada aleatoriamente uma para encerrar o artigo. Sendo assim, o tocador escolheu…

Ouvindo... Pearl Jam: Deep

 

 

 

 

 
Anúncios

Um pensamento sobre “Radar Musical: Um

  1. Amigo, aqui estou lendo esse teu espaço "relâmpago" e finalmente encontrando um lugar para estacionar umas palavrinhas.
    Só não achei legal – não fique triste – essa tua inesperada semelhança Cristo. Bom, julgo que seja semelhança mas, na verdade,
    quem sabia o rosto de Cristo?
    Boa sorte, feliz caminhar pela vida estreita da literatura e que Deus te proteja, alargando um pouco mais a estrada. Amém.
           Amiga,   Celina.
     

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s