Trigésimo Quinto Fonema

Oráculo

smile_nerdlightbulb Oportunamente, nosso personagem deparar-se-á com uma grande ajuda.


O Autoc segue adiante, sempre sob a suspeita do pensamento, não mais questionando de forma desconstrutuvista, mas sim de maneira reformista. A um novo exemplo Descartesiano, procurava conciliar tudo o que via e racionalizar uma linha de pensamento.

Era o momento decisivo de se organizar para obter resultados concretos para viver acostumado com uma nova realidade.

Quando, na Terra dos Sem-Razão, encontra a fonte-maior de todos os questionamentos, a reserva de todas as conseqüentes respostas.

Emudecido por uma causa desconhecida, não tarda para que o Bigaiye reconheça a sua avidez por algo que lhe oriente definitamente.

Mas a resposta é complexa demais para aquele que tudo sob o céu têm as respostas físicas. Era algo que estaria ainda além de seu alcance…

Não vejo por qual intento,
Sopras seus gestos ao vento,
Enquanto sempre tinha ela consigo,
E não a havia percebido.

Por uma resposta posso auxiliar:
No território do desencanto,
Onde as cores tornar-se-ão a escapar,
Acharás seus porquês, contudos, portanto.

Mais uma vez, a interrogação adentra o imaginário do Autoc, mas agora não era mais o momento de resistir às novidades. E sim de correr os riscos!


Ouvindo... Guns ‘N Roses: Used To Love Her

Publicado por Potingatu

Estudante de Língua Portuguesa e Linguística pela FFLCH - USP (2010-5), entusiasta e experimentador do máximo de artes que for possível.

%d blogueiros gostam disto: