Momento Poesia

De Volta à Vida Normal


"Incluso:
Faço-me distinto
De forma que o instinto
Não se sobreponha à razão

Excuso:
Não faças frente a uma loucura
Se fugir-se-á diante d’um alçapão

Desculpo:
A rosa vermelha deitada na cama
Frondosa, não me engana
Clameja pela minha atenção

Recluso:
Vivo sempre na amargura
Entretida em única compreensão."


Alguém compreende um poema existencial-desestruturalista?
 Doors: The Wasp

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s