O Vigésimo Sétimo Fonema: Vinte e Cinco

A Odisséia de Haikimi, Segunda Parte

[Precisei de mais de um dia para pensar melhor neste conto]


"Haikimi admirava então a atitude de nosso amigo Semoni, tendo num determinado momento, após um breve período de tempo sendo freqüentada pelo florista, convidado o tal para conhecer seu requintado reduto na área nobre do reinado. Um pouco minúsculo, sim, mas com toda a ostentação que ela tinha.

Mas ele não tinha a coragem de se aproximar dela com mais intenção. Pior que ela desejava ser correspondida, pois passava, discreta e imperceptivelmente, a perceber-se conquistada pelo jeito dele.

E ele passou um recado a ela, por via de terceiros do reino, pois amarelava-se sempre que ía tentar convidá-la para algo especial pessoalmente. Desde então, quando Semoni passava pelo reinado, estranhava a falta da presença da Haikimi naqueles derredores.

Após semanas, decidiu se informar por que ela não comparecia [estranho… por que não fosse antes procurá-la em casa?]. Rumores diziam-lhe que ela estivera ficando muito doente no seu lar.

Decidiu visitá-la, mas quando a encontrou, estava de pé, olhando um espelho, e a lhe dizer: ‘Não quero mais sua presença! Se você não tem a capacidade de se decidir a fazer as suas intimações pretensiosas por si mesmo, não as faça por outrem!’

E então ele deixou de passar em sua residência, resignado. E a passar pelo reinado, também nunca mais o fizera em sua vida. Rezam lendas que ele esteja em seu reduto longínquo, isolado da sociedade a pensar em seu amor perdido."


E quem disse que isso deveria ser um final feliz?

 Alice In Chains: Bleed The Freak

Publicado por Potingatu

Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa (2010-7), FFLCH / FEUSP. Aspirante-a-mestre-acadêmico não-qualificado em Filología e Estudos do Discurso em L. P. (idem, 2017-8). Pesquisador juramentado diante do MCTI de Marcos Pontes e com préstimos ao 🇧🇷. Sigamos!

%d blogueiros gostam disto: