Momento Prosa


Deixe isto de lado

Acompanhe a saga de um senhor de idade na promulgação de sua sabedoria

"Sempre dizia isto aos meus amigos de peito… ‘Deixe isto de lado. Isso é um problema que se resolve melhor quando nós deixamos de nos preocupar com ele.’ E comprovo, com minha absurda experiência de décadas de vida, que matutar muito a respeito das dificuldades não é o melhor meio de resolvê-las. Às vezes, largando o problema, ganhamos a possibilidade de não sofrermos muito com ele.

Tem, então, um bom exemplo que costumo dizer… Antiquado – mais do que eu – mas que expressa toda a essência daquilo que sempre planejo discursar com todos aqueles que vivem comigo. Eis aí o exemplo.

Havia, numa floresta, um urso que sempre tinha o costume de assaltar as colméias de abelha, de tempos em tempos, em busca do melhor mel que havia. Naquela região, haviam também uns chamados ‘apicultores silvestres’, entendidos na extração de mel silvestre, muito gananciosos. Percebendo que a busca por mel se daria numa dura disputa com o urso, decidiram punir o urso.

Tentaram através de armadilhas diversas, com todas falhando, eventualmente. Tiveram então uma idéia que acharam fenomenal: punir o urso com aquilo que ele mais gosta. Prepararam um pote cheio de mel, bastante quente, e deixaram no meio da floresta. Não demorou muito para o urso comparecer àquela iguaria tão cheirosa – por estar quente.

Na trentativa de agarrar pela primeira vez, o urso urrou de absurda dor com a queimadura. Poderia ter aprendido a não ficar capturando iguarias que estivessem tão à disposição e voltasse a procurar em colméias. Mas achou que alguém tentara lhe tirar o pote das suas mãos.

Tornou a agarrar o pote, mas desta vez o segurou com tamanha força contra o próprio peito, e a urrar mais forte. Mas quanto mais forte o urro, mais pressionava o pote ao próprio corpo, aumentando-lhe as queimaduras, até a sua morte.

Talvez não seja uma lição de aprendizado aos ‘apicultores silvestres’, mas sim a nós, observando a finitude do urso. Não podemos ser insistentes em certos casos, quando a coisa fica insuportável, devemos esperar com paciência o pote esfriar, e não sermos egoístas a ponto de colocar nossas vidas em risco por algo tão bobo. Essa fica sendo a minha lição, de um sábio velho, às novas gerações…"


Progressivismo na veia.

 Yes: Close to the Edge

Publicado por Potingatu

Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa (2010-7), FFLCH / FEUSP. Aspirante-a-mestre-acadêmico não-qualificado em Filología e Estudos do Discurso em L. P. (idem, 2017-8). Pesquisador juramentado diante do MCTI de Marcos Pontes e com préstimos ao 🇧🇷. Sigamos!

%d blogueiros gostam disto: