O Vigésimo Sétimo Fonema: Dois

Lembretes de Bárbara Svenska a seus amigos brazucas

Da redação do BS


"Caros amigos,

Visto minha situação frente àquele maldito do Omar que andou passando minha vida, decidi por optar por dizer que, a partir de agora, faço jus (amigos espero que vocês entendam o que desejo dizer com isso) ao nome que mãe e pai decidiram em conjunto para mim. Chega de bancar a Helena de Tróia, despida de qualquer malícia… Sou é Bárbara, e barbaramente farei correr em caráter ininterrupto o sangue húngaro-russo sobre minhas veias. Ninguém mais me desdobra… talvez um hispânico que andei conhecendo recentemente.

Ele é um nato artista de World Music, e gostei de ver sua pantijla [um instrumento tamandarim, importado das regiões mais nórdicas do Chile, que se popularizou-se na Espanha nos últimos cinco anos, que lembra um misto de banjo com o teremim] balbuciar nossa comum origem européia… Sei que sou nascida nas terras da MPB, conheci pessoas interessantes como vocês, mas preciso de ares mais frios para resfriar minhas idéias… Não quero virar mais uma sei-lá-o-que que naquela obra de Aluísio de Azevedo se deixou entregue a aspirações fúteis de subir na vida… Sei o potencial dessa nação ‘gigante pela própria natureza’, colossal e grandiosa, mas tem coisas que vejo, até aqui do meu lado, que me deixam intrigadas… Meus vizinhos fazem sociedade irrestrita sob os termos de lei aqui na Cidade D’Itália, tal como romanos a despossar César. Imaginem? Vocês não crêem nestes fatos? Olhem as entrelinhas do jornal… vocês irão encontrar um Esterlino, um Agostinho, ou até mesmo um Fokikayura envolvido nos escândalos. Ratos imundos que infestam nosso esgoto…

Numa dessas, resta-me dizer que ‘vou-me embora pra Pasárgada, lá sou filha do Rei, lá tenho o marido que desejo, na cama em que escolherei’. Onde fica? Talvez eu faça o resgate de minha família lá da cidade de Samara, São Petersburgo, e dizem que há alguns traços de Kastorski na família, cujo sei lá por que motivo, família não decidiu colocar em meu nome… Sinto falta do doce sangue de minha mãe nessas veias problemáticas.

Como me disse um amigo de internet – muito gentil comigo, ao acaso – e tomo as palavras dele como minhas: ‘Somos incógnitas ambulantes’.

P. S.: Favor cuidar de nossas tartaruguinhas, não deixem aquele bichano do Freddy incomodá-las novamente."

Cuidem-se

Bárbara (K.) Svenska


 Elton John: I’m Still Standing

Publicado por Potingatu

Bacharel e Licenciado em Língua Portuguesa (2010-7), FFLCH / FEUSP. Aspirante-a-mestre-acadêmico não-qualificado em Filología e Estudos do Discurso em L. P. (idem, 2017-8). Pesquisador juramentado diante do MCTI de Marcos Pontes e com préstimos ao 🇧🇷. Sigamos!

%d blogueiros gostam disto: