Olha quem está falando!

Não é sobre o filme… vou logo avisando…

Comparações da vida real [aquela que acontece na nossa frente] com a vida de show bizz

Esta seria a primeira entrada desta categoria.


Andrógino. adj. Que reúne os dois sexos; hermafrodita; que é comum ao homem e à mulher. (do gr. androgynos)


"Encontramos diversas pessoas no decorrer de nossas vidas…

Umas passam de relance e não deixam nada de importante em nossas vidas…

Outras contribuem bastante conosco em nossa caminhada…

E certas caminham conosco nessa estrada chamada ‘Amizade’.

Cada uma dessas pessoas possuem suas virtudes, seus defeitos e, sobretudo suas marcas de personalidade.

Quem me conhece [olhando meu perfil], diria [até com alguma razão, confesso] que sou uma pessoa [a] normal. Principalmente pelo fato de que tenho trejeitos típicos de alguém que se deu, corpo e alma [nada pornográfico, vou avisando], à vida do teatro. E detalhe: nunca fiz nehum curso, mas já adiantando, digo que tenho uma pretensão de cursar em breve [n. e. ‘Quando tiver grana’]. Num desses trejeitos, alguns diriam que sou muito feminino.

[E, antes de pensar que sou ‘vira-casaca’, vou logo avisando que isso pode estar para outros, mas não está para mim… equação matemática logo adiante: eu + mulher = se ela permitir (…)*¹ … Só para explicar sem recair naquela pouco original ‘Qualé, sou é muito macho (cado!!!)’]

No entanto, essa androginia não é biológica, nem tão comportamental, mas é um ‘quê’ a mais que me diferencia de outros sujeitos… dá até para [mulheres, cuidado!] entender o universo feminino com um ponto de vista mais bilateral, sem precisar radicalmente emulherizar-se [ungh… termo forçado novamente].

Mas talvez não seja essa a coisa interessante, que me faz escrever esse esmiuçado artigo sobre questões comportamentais ‘tabulosas’ [favor equipe da Aurélio, disponibilize uma edição exclusiva de dicionário Português-dialético-internetês-brejo-sapeástico para a Comunidade Internética, pois do jeito que forço termos, acabo inventando um novo português] é mostrar que, apesar de eu ser [mais antes: ter me feito] androgenizado pelo meu comportamento, há outros que, visualmente, fazem mais jus a tal título.

Consideração do autor: ‘ser andrógino não constitui defeito ou depravação, ou qualquer outra coisa do gênero’.

A intenção desta ‘Maçã Verde‘ de hoje, é fazer uma comparação [sadia] de uma pessoa com um determinado sujeito do show bizz inglês.


Veludo britânico

Quem que:

  1. Consegue ter acesso a rádios Rock menos convencionais, acesso P2P a redes de troca de músicas;
  2. Curte Rock Britânico dos idos dos noventas; e
  3. Já ouviu falar do Suede [e desconsiderando possíveis preferências sexuais, abordadas nas músicas e no comportamento de alguns dos camaradas].

Pode estar imaginando: ‘Esse cara do blog aí vai falar o quê do tal do Brett Anderson?’. Bom, pra começo de conversa, e a título de informação, o camarada aí andou formando nova banda com um ex-guitarrista do Suede, a qual chama-se The Tears… esse é o mínimo que posso informar a respeito da atual situação dele.

Pois bem, o tal ex-vocal do Suede, vestia-se e expressava-se com um ar de androginia, de tal maneira que [Hããã…] não ficava tão horrível… até que combinava… Para tanto, pesquise ‘Suede‘ ou ‘Brett Anderson‘ em busca de imagens e veja que as fotos expressam melhor que minhas inexpressivas palavras.


Olho nas estrelas anônimas

Incrível encontrarmos pessoas, no nosso convívio que possam parecer estrelas. Num desses numeráveis exemplos, posso citar um de experiência própria: um companheiro de curso, camarada gente fina, em seus anseios fotográficos, conseguiu incorporar um espírito pôser de ‘Brett Anderson’ e saiu uma foto incrivelmente parecida com o tal. E, ainda por cima, em sua época mais andrógina, que era o início do Suede.

O nome do camarada? Por razões de S&P [Segurança e Privacidade] venho a chamá-lo de [hmmm… ruim para inventar nomes, mas tudo bem] Fabrício. De onde o conheço? Pelas razões supra-citadas, qualquer outra informação a respeito do sujeito fica velada, salvo decisão do próprio, como também permitir a publicação dessa entrada [de fato, se você, leitor, está podendo ler isso, provavelmente houve permissão de uso de imagem].


Palavras enjoam… o que realmente expressa a intenção da Maçã Verde de hoje não é uma, mas duas imagens.

[Estão no rodapé desta entrada]

Acho que já foi dito tudo… olha só a semelhança!!!"


DEPOIS de uma desvairada tese, deixo adiantado uma questão a resolver em breve [n. e. Com disposição e tempo de sobra]. Por que isso parece estar tão vazio? Pois não devia [detalhes em breve].


Suíte musical: cerca de quarenta minutos de música progressiva

 Jethro Tull: A Passion Play


*¹: para explicar o (…), que também está numa das listas de músicas… acho que não precisa… de fato, o que pode rolar de mais legal, ‘shooow’ e gostoso entre duas pessoas de sexo oposto?

Escrito no dia 25 de Junho de 2006, por volta das cinco da tarde.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s